A Influ??ncia dos Neuro Transmissores nas respostas mentais.

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
Um dos tantos modelos da estrutura e evolu????o cerebral, chamado c??rebro trino (que cont??m tr??s aspectos diferentes), prop??e que devemos examinar o mundo em geral e a n??s mesmos, atrav??s de tr??s mentalidades diferentes, duas das quais n??o interv??m na faculdade da fala.
MacLean, sustenta que o c??rebro humano equivale a tr??s computadores biol??gicos interconectados, cada um com sua peculiar e espec??fica intelig??ncia, subjetividade e seu pr??prio senso do tempo e espa??o, bem como, suas pr??prias fun????es de mem??ria, motrocidade e outras fun????es menos especificas. Cada parte corresponde a uma etapa da evolutividade cerebral, de transcendental import??ncia.
As tr??s distinguem-se tanto pela sua configura????o neuro-anat??mica, como pela sua funcionalidade e por conterem propor????es muito d??spares de: serotonina, dopamina, noradrenalina, acetilcolina, ??cido aminobut??rico (*gaba), etc.

*A forma????o mais antiga, o c??rebro posterior, ?? integrado em grande parte pelo bulbo, protuber??ncia, ped??nculos cerebrais e cerebelo. Compartilham conosco, os humanos, os mam??feros e os r??pteis. Se desenvolveu provavelmente h?? v??rias centenas de milh??es de anos, denominado complexo reptiliano ou “Complexo-R”, desempenha um importante papel na conduta agressiva, nos atos rituais e de territorialidade, assim como no estabelecimento das hierarquias sociais.

Estes rasgos configuram em boa medida o comportamento violento, burocr??tico e pol??tico do homem atual.
Surpreende comprovar como grande parte das nossas a????es confrontam-se muitas vezes com o que dizemos ou pensamos. Isto poderia se explicar em fun????o das normas de conduta que orientam o “Complexo-R” e a inespec??fica subst??ncia reticular.
Circundando-o se encontra o sistema l??mbico ou lobo de broca, c??rebro antigo ou rinenc??falo ou c??rebro olfativo, constitu??do: pelo anel que linda o c??rebro propriamente dito, sistema l??mbico de MacLean, que constitui um grande sistema sub cortical e central, o centroenc??falo. Este c??rtex l??mbico gera os estere??tipos similares ao dos tigres, gatos, pumas, (felinos em geral). Exerce a regula????o da vida emocional junto com o hipot??lamo, estreitamente conectado com a regi??o da hip??fise, diencef??lica: centro vegetativo do sono, a sede, o humor, a temperatura, a diurese, a fome, etc., como tamb??m a am??gdala cerebral, o t??lamo, a gl??ndula pituit??ria e o hipocampo.

Os mam??feros restantes t??m um sistema l??mbico; os r??pteis o possuem ainda num grau muito menos evolu??do. Este sistema seguramente se originou h?? cerca de 150 milh??es de anos.
Por ??ltimo, o que resta do c??rebro, o neoc??rtex, ?? sem d??vida a incorpora????o evolutiva mais nova.
O homem, o mesmo que os mam??feros superiores e os primatas, possuem um neoc??rtex proporcionalmente maior e mais perfeito, junto com os golfinhos e os grandes cet??ceos, como as baleias.
Provavelmente se formou h?? milh??es de anos. A apari????o do homo sapiens (h?? 300 mil anos) mostra um desenvolvimento ainda mais extraordin??rio.

Paul Broca, neurologista e antropologista franc??s (+1880), informou que a 3?? circunvolu????o do lobo frontal esquerdo do c??rtex/cerebral, que na sua honra denominamos ??rea de Broca, controla a emiss??o articulada da linguagem. Pareceria que no homo habilis, h?? 2 milh??es de anos se desenvolveu esta ??rea, e que o fez junto com a aquisi????o do trabalho, com o uso simult??neo de suas rudes ferramentas. A aprendizagem parece ser uma fun????o exclusiva do neoc??rtex.
At?? agora n??o consta nenhum ind??cio que conecte o homo erectus (1.8 milh??es de anos) com o homo sapiens (f??sseis encontrados de apenas 300 mil anos). Ser?? poss??vel que o elo perdido que os conecta n??o se encontra porque n??o existe, e portanto, a origem do homem qui???? n??o tenha conex??o alguma com o chimpanz???
O intelecto ou a raz??o ?? fun????o do neoc??rtex, sendo o rasgo mais distintivo a capacidade de raciocnio e a formula????o de abstra????es como a matem??tica, a m??sica, as artes.
Distinguem-se no neoc??rtex os lobos: frontal, parietal, tempor??rio e occipital. Lobo frontal: relacionado com a reflex??o e regula????o da a????o, antecipa????o motora e cognitiva e antecipa????o do futuro, ?? a concentra????o da ??nsia e o pesadume (pre??o que pagamos pela previs??o do futuro), interv??m tamb??m, no nexo entre vis??o e postura erecta e b??pede. Nossa postura b??pede permite as nossas m??os o manejo de diferentes e variados elementos com elas. N??o seria um exagero dizer que talvez a civiliza????o seja o produto da atividade social dos lobos frontais.
O c??rtex prefrontal (CPF) ?? a regi??o frontal anterior ao c??rtex/motor prim??rio e pr??-motor, ?? uma estrutura que aumentou de tamanho com o desenvolvimento filogen??tico, heterog??nea desde o ponto de vista anat??mico e funcional. O c??rtex prefrontal ?? vital para as “fun????es executivas” as quais s??o produto de opera????es coordenadas por diversos processos cognitivos, e para cumprir um objetivo particular de maneira flex??vel. O mecanismo ou sistema respons??vel para a a????o coordenada se denomina controle executivo. Intervindo ali: o atendimento seletivo, a tomada de decis??es, planeamento, inibi????o da resposta, desenvolvimento de estrat??gias, e uma mem??ria de trabalho que permite manter em forma tempor??ria a informa????o e manipul??-la, durante diversas demandas cognitivas. A (CPF) possui um papel vital na organiza????o efetiva da conduta.
O dano da ??rea prefrontal produz degrada????o do controle executivo, e como consequ??ncia, deficit no ju??zo, na tomada de decis??es e no planeamento. A “mudan??a de personalidade” ?? uma das descri????es mais comuns do paciente com dano frontal. Tamb??m se observam falhas na capacidade da abstrac??o, a dificuldade para inter-acionar efetivamente no meio social e falha no controle emocional. Os pacientes que apresentam esta defici??ncia passam rapidamente da depress??o ?? euforia. Outros indivduos, especialmente aqueles com les??o orbitofrontal direita, apresentam-se man??acos, desinibidos, impulsivos e irrespons??veis.

Na ??ltima d??cada os estudos de neuroimagens funcionais (RMF) permitiram um avan??o qualitativo na tentativa por desentranhar as diferentes ??reas prefrontais. (Facundo Manes e Col. 2002).
Lobos parietais: a resid??ncia da percep????o espacial e a linguagem simb??lica, estabelecem o interc??mbio entre o c??rebro com o resto do corpo e ler. Uma les??o neste lobo engendra alexia. Permitem orientar-nos no espa??o tridimensional ?? tamb??m sua fun????o.
Lobos temporais: t??m uma tarefa perceptual muito variada, conectam os est??mulos auditivos com os visuais. Les??es neste lobo podem se manifestar em forma de afasia (incapacidade para captar a palavra falada). Radica tamb??m no lobo tempor??rio a regula????o da agress??o e da viol??ncia, (recordemos: a epilepsia do lobo temporal).
Lobos occipitais: est??o relacionados com a vista, que ?? o sentido dominante entre o homem e os outros primatas.
Tanto a mem??ria ef??mera ou de fixa????o (hipocampo e lobos frontais) quanto a mem??ria retentiva ou duradoura (neoc??rtex), em geral, localizam-se em diferentes por????es de todo o c??rebro.
Durante seu desenvolvimento embriol??gico o homem tende a repetir ou a recapitular (Ernest Haeckel: A lei da recapitula????o, s??culo XVIII) a que assinala a sequ??ncia evolutiva de seus antecessores. O feto humano, durante sua vida intra-uterina, passa por diferentes fases evolutivas semelhantes aos peixes, os r??pteis e mam??feros n??o primatas, antes de desenvolver rasgos pr??prios que credenciar??o sua condi????o de humano.
O desenvolvimento cient??fico e tecnol??gico se encarregou de nos liberar daquele comando biol??gico interior de prosseguir mudando (modifica????es gen??ticas naturais) para adaptar-nos ao meio. Essa capacidade que tinha nossa esp??cie, pareceria ter ficado hoje virtualmente esgotada.

At?? pouco tempo se creia que a regenera????o de neur??nios (neurog??nese) no c??rebro, terminava ao finalizar o desenvolvimento do mesmo, pensava-se que o n??mero de neur??nios do c??rebro adulto j?? n??o se modificava e que os que morriam n??o eram substitu??dos. Durante a ??ltima d??cada, cient??ficos descobriram que em duas regi??es do c??rebro dos mam??feros adultos: na zona subventricular e na capa granular do giro dentado do hipocampo, geram-se novos neur??nios. Pode-se demonstrar que estas regi??es do c??rebro cont??m c??lulas stem ou progenitoras, as que produzem constantemente novos neur??nios, ningu??m tinha demonstrado que estas eram realmente funcionais (demonstrado atrav??s de registros electro neuro fisiol??gicos). Doutor Schinder A.

Chegamos a algum limite? Por alguma for??a do destino? Ou talvez alguma visita inesperada que se nos aparentou faz uns centos de milhares de anos terminou com aquilo de seguir mudando? Ou ser?? que a transmiss??o gen??tica do conhecimento inteligente ancestral ?? s?? o primordial? Qui???? por um ato divino?… Ou resulta do projeto de nossa pr??pria evolu????o?

Muitas vezes falamos de assassinos que matam a sangue frio num escuro beco, ou num quiosque a plena luz do dia, ou desde a escrivaninha dum despacho mandam a matar “por encomenda”, ent??o:
Se a conduta agressiva est?? essencialmente regulada pelo complexo r??ptil, isto significa que n??o h?? esperan??a para um futuro humano sem viol??ncia?

O neoc??rtex representa ao redor do *85%* do total do c??rebro, o que reflete sua import??ncia com respeito ao c??rebro posterior, tanto a neuro-psicofisiologia, como a hist??ria pol??tica, e a pr??pria introspec??o do homem: oferecem provas suficientes de que o ser humano ?? perfeitamente capaz de resistir a urg??ncia de ceder aos impulsos emanados do c??rebro r??ptil. ?? impens??vel supor que desde nosso c??rebro r??ptil houv??ssemos podido conceber a declara????o dos direitos humanos, n??o ???
Uma das miss??es deste neoc??rtex ?? conter ou eliminar alguns impulsos do complexo-R. Mas, o que acontece ent??o com aqueles meninos de baixo interesse e hiperativos e que cometem atos de viol??ncia contra parceiros escolares ou suas pequenas mascotes, e que depois de adultos s??o altamente agressivos e delituosos?
?? consequ??ncia dum neoc??rtex geneticamente vulner??vel, ou duma subst??ncia reticular (c??rebro isolado), que produz uma hiperatividade ascendente de impulsos indiscriminados provenientes do Complexo-R que ultrapassa o controle e/ou filtro do neoc??rtex?
A subst??ncia reticular ?? uma neuro-pilha, centro do tronco cerebral, d??namo desde o bulbo at?? o ped??nculo e sistema l??mbico (n??cleos tal??mico e hipotal??micos), est?? bastante limitada com a subst??ncia cinza central da medula, ?? sumamente difusa e tamb??m chega ao neoc??rtex. ?? conhecida como c??rebro isolado porque constitui um sistema de ativa????o ascendente.
A subst??ncia reticular se caracteriza por estar constitu??da pelo entrecruzamento de fibras nervosas em diferentes dire????es, nela existem neur??nios que formam agrupa????es polisin??pticas que t??m valor similar a n??cleos funcionais, sendo sobretudo, centros de associa????o que coordenam numerosos reflexos onde interv??m os pares cranianos e as principais funcionalidades org??nicas.
H?? fibras aferentes: sensoriais, neocorticais (conex??es cortico reticulares), do rinenc??falo, e do cerebelo.
Fibras eferentes que se projetam sobre: o c??rtex cerebral passando atrav??s do t??lamo, ou fora deste, e fibras reticuloespinais atrav??s de n??cleos sensoriais.

As fun????es da subst??ncia reticular, emprazada em todos os espa??os deixados livres pelas forma????es espec??ficas desta regi??o s??o:

a: Regula????o do n??vel de consci??ncia. Em cobaias.
(Na estimula????o com eletrodos: acordar)
( sua destrui????o cir??rgica: sono)

b: controle da motilidade som??tica e fun????es vegetativas.

c: controle do comportamento global do indiv??duo.

d: modifica a atividade de centros superiores, os que ao detectar efeitos exteriores estimulantes de alerta, podem desencadear impulsos agressivos irrefre??veis provenientes do Complexo-R.

“Podes liberar muitas coisas de teus atos, a que corram sua pr??pria sorte, mas n??o aquelas que concernem a tua pr??pria natureza…”
G. K. Chesterton

Demonstrou-se: aumento de noradrenalina no c??rebro de animais, aos que se induziu agress??o por isolamento prolongado ou outros fatores de estresse. Uns dos f??rmacos que reduzem a atividade noradren??ergica, como a clonidina e o propanolol diminuem a agress??o.
O aumento da dopamina facilita a agressividade afetiva, por exemplo, os agonistas da dopamina, como da apomorfina aumentam o comportamento agressivo. A administra????o experimental de metil paratirosina (inibidor da s??ntese de dopamina), diminui a agressividade.
As baixas concentra????es de serotonina (5-HT) no c??rebro demonstrou comportamentos agressivos e/ou auto-agressividade. Estudos em delinquentes violentos e impulsivos demonstraram baixa de serotonina cerebral, refletida por n??veis baixos em L.C.R. de 5-HIAA, (metabolito de serotonina). Diferentes evid??ncias assinalam a participa????o de (5-HT) diminu??da em condutas agressivas e viola????o.
Tamb??m se destaca a import??ncia de (gaba) na regula????o do comportamento agressivo.
H?? evidentemente uma importante rela????o entre comportamento agressivo, suicida e impulsivo, e a disfun????o do sistema serotonin??rgico.
O DSM IV desterrou de sua ??ltima edi????o, a palavra org??nico, estabelecendo que todo transtorno da psique implica tamb??m uma altera????o biol??gica.
O c??rebro ?? o ??rg??o da mente. A mente n??o ?? mais que o c??rebro. A citoarquitetura do c??rtex cerebral, est?? condicionada por est??mulos do meio social, sendo que a socializa????o, conforma os atributos humanos essenciais de nossa esp??cie, por meio da linguagem.
A natureza e a cria se encontram em reciprocidade e n??o em oposi????o. Todos os meninos herdam, junto com os genes, a seus pais e ao lugar que dever??o habitar.
O desenvolvimento de cada humano se faz num meio geogr??fico circundante, ecol??gico e social, como seus genes, ?? especifico da esp??cie e para poder denomin??-lo, cunhou-se o t??rmino de nicho ontog??nico; legado que estrutura ao desenvolvimento, um elo crucial entre pais e filhos, uma embalagem biogr??fica de todas as possibilidades da vida, as que ao desordenar-se ou alterar-se dar??o lugar, provavelmente, a transtornos mentais.

O ps??quico (segundo Jacob CHR.), ?? em seu ess??ncia, um processo din??mico, adquirido pela experi??ncia individual e o resultado da colabora????o de diferentes complexos funcionais corticais hereditariamente preformados e carregados neuro-energeticamente, os que est??o, de alguma maneira, certamente localizados.
O ps??quico ?? n??o localiz??vel, ?? transcortical, mas seus ??ltimos elementos criadores representam o fisiol??gico, e em isto sim existem hoje m??ltiplas localiza????es poss??veis.
Se o nosso neocortex se foi desenvolvendo, enquanto as suas qualidades humanas, na medida que o homem foi aprendendo:
Ent??o educar ao homem para sua liberdade, ?? a maior esperan??a de nossa civiliza????o. Ele aprendeu a manejar seus impulsos internos, pelo que ?? cada vez mais livre de seu aparente inexor??vel des??gnio.
Entre os seres humanos, nenhum grupo racial ou ??tnico em particular se distinguiu por ser inato ou frequentemente mais violento que os outros.
Se mais da metade dos crimes violentos s??o cometidos quando os agressores se encontram sob a influ??ncia de drogas e/ou ??lcool, ent??o os planos de preven????o no abuso indevido de subst??ncias, devem come??ar com a alfabetiza????o.

Em todo indiv??duo existe uma for??a de natureza antropol??gica, que se expressa no interior da dimens??o mental: *a consci??ncia, a que incita ao sujeito a apropriar-se dos atos que ele mesmo produz.
Este movimento de apropria????o do acto sempre aponta a dois objetivos: 1 – apropria????o do controle do processo do ato;
2- apropria????o dos efeitos do ato;
Em s??ntese: n??o dizemos por acaso? este ?? meu ato, quase como se diss??ssemos, este meu corpo, meu pensamento, meu ser.
Todo ato humano ?? tamb??m um ato social, um ato do neocortex.
Enquanto nossos genes, como j?? vimos, nos d??o o arma da defesa e o ataque, o meio externo, as vezes, ?? quem aperta o gatilho para o ato agressivo.
A puls??o hostil, tend??ncia hostil, remete a que impulsividade: ?? um fragmento de atividade emocional irreflexiva. A “puls??o agressiva” designa a por????o de cada um de n??s, que dirigida para o interior (autoagressividade) ou ao exterior (heteroagress??o), concreta-se com a ajuda especial da musculatura, a ira impulsiona ao ataque, ent??o ?? onde o org??nico-cerebral, se compromete, resultando uma resposta c??rebro-reflete. Ira: emo????o que faz perder o dom??nio sobre si mesmo (c??lera, f??ria, furor).
A viol??ncia ?? especificamente humana, ?? proceder com for??a extrema, for??a derramada, fora dos limites, para adiantar-se a outros e conseguir fins de sobreviv??ncia, ou de despojamento, ?? exercer o poder absoluto por meios coercitivos ou extorsivos. Est?? relacionada com a aus??ncia de introspec??o e/ou defici??ncias nos mecanismos de auto-controle: mente-c??rebro.