ENTENDENDO A ESCOLHA DOS CRISTAIS DOS PINGENTES

do Pontal Energético

O sistema de escolha dos cristais dos pingentes do Pontal Energético foge de todo conhecimento disponível até o presente momento quando se trata de encontrar um motivo para a aquisição de determinado cristal acoplado ao pingente.

Atenção: Não sugiro neste trabalho, sob hipótese alguma, suplementações minerais ou químicas, promovidas por cristais, mas somente a correlação sutil de frequências entre os minerais contidos nos cristais e o bio-campo do ser. Qualquer análise das disfunções minerais no organismo, semelhantes com o estado de saúde encontradas nestes estudos dos minerais pelo leitor, o mesmo deverá consultar um profissional da área de saúde.nais, empíricas e diria “mitológica” a relação entre o cristal e o ser.

Algumas crenças estabelecidas ligam esta escolha às datas de nascimento, ou a chackras, ou a signos, ou às cores e formatos, enfim, todos estes sistemas estão fartamente descritos em pilhas e pilhas de livros da literatura mística envolvendo este “pseudo” estudo sobre o assunto. Talvez, intuitivamente alguns modelos destes estudos sobre a afinidade entre os cristais e o ser acertem na relação de benefícios que os cristais proporcionam, sem que, contudo saibam exatamente como se estabelece cientificamente esta relação:

Ser – Cristal – Forma,

com os resultados vibracionais, ou que ao menos estejam mais próximos de uma realidade científica, a qual tentarei demonstrar mais adiante neste estudo e como este sistema de ressonância realmente se dá, incluindo seu funcionamento, sob a visão da mecânica quântica.

Para estabelecermos um novo paradigma sobre o tema é importante entendermos inicialmente que somos “seres essencialmente vibráteis” atômicos, na realidade, compostos, como tudo na natureza “conhecida”, de moléculas, átomos e partículas como: prótons, nêutrons, elétrons, gluons, quarks, neutrinos etc… Esta relação pressupõe que de alguma forma interagimos com os mais diversos “campos” eletrônicos sutis aos nossos sentidos e que esta interação é essencialmente de origem eletro magnética, pois, nossas células são como bilhões de pequeninas antenas catalisadoras que captam, não só reações químicas que se dão por respostas de troca de elétrons (anions e cátions) moleculares, entre si, mas também ondas, radiações e freqüências específicas que são identificadas eletronicamente pela nossa membrana celular (barreira intermentes) que dispara, então, orientações bioquímicas em todo nosso sistema metabólico funcional.

Assim sendo, as expressões matemáticas que quantificam estas pequenas frações a que me referi, só podem ser compreendidas dentro do âmbito das subpartículas dinâmicas e expansivas do Universo denominado “Universo Quântico”, onde as leis da física cartesiana / newtoniana com visão fixa e não expansiva, não se aplicam aos fenômenos que se dão no âmbito do invisível porém, com resultados de natureza física visível desenvolvidos nos organismos dos animais em geral .

Embora todos os seres estejam sujeitos, de maneira particular às interferências de campos eletro magnéticos através de suas partículas de alta energia chamadas de “fótons” que agem em qualquer dimensão do espaço e são entropicamente destrutivas com relação aos organismos, estes desvios de conseqüência entrópica são amplamente conhecidos pela física Quântica como “Efeitos colaterais pseudoconstrutivos”. A depender da intensidade fotônica emitida pelo campo, as principais conseqüências poderão ser notadas das seguintes formas:

A-) Inversão de carga das partículas predominantes do bio-campo, sendo de neutrinos passa a ser de antineutrinos, sem abaixamento da intensidade. Ocorrendo desta forma uma reorganização “automática” do Organismo. Como já pudemos notar pelo amplo estudo do site do Pontal Energético, a geração de neutrinos ocorre como um fenômeno do tipo piezelétrico, que se manifesta a partir da compressão da membrana iônica. Logo, a geração dos antineutrinos, estão subordinadas ao módulo de distensão da membrana, portanto, enquanto durar a interferência de radiações externas ao sistema e que pode ser de origem de ondas radioativas ionizastes ou não ionizastes (amplamente estudado em nosso site) bem como dos fótons, virtuais ou não, é que o organismo assume, uma identificação eletrônica apolar / polar, com respostas bioquímicas de reflexo defensivo natural e espontâneo do próprio organismo ou ao contrário e como veremos, absorvendo e metabolizando freqüências que podem ser benéficas ou não.

B-) Rebaixamento, com o tempo, da intensidade do campo neutrínico que envolve o ser, até sua total ruptura ou um fracionamento do mesmo, o que será impulsionado, neste estado, pela incapacidade de inversão da polaridade bombardeada fotonicamente e que gerará déficits nas fases eletroquímicas “falta de oligoelementos” necessárias ao fornecimento de uma carga catiônica (ganho de elétrons entre moléculas).

Seguindo este principio quântico, as patologias nada mais seriam que interferências fotônicas e de radiações, onde nosso organismo procuraria uma constante reordenação para estas interferências, desta forma as conseqüências da disseminação de campos parasitários ou “cargas parasitárias energéticas” geradas por cargas eletromagnéticas nocivas radioativas ou não ao nosso bio campo trariam os reflexos das respostas de alterações celulares em formas de patogenias.

Esta surpreendente visão de interferência de campos fotônicos modifica fatalmente toda a atual e futura compreensão das origens patogênicas das patologias, pois, entenderemos que as interações das partículas são de fato o que comanda as repostas metabólicas celulares.

Seguindo este raciocínio básico entendemos que:

· A intensidade de campo neutrinico define, de uma certa forma, a saúde bio química do ser em estados polar /apolar.

· A falta de Óligoelementos “minerais” necessários ao fornecimento de uma carga catiônica corrobora para a intensidade do rebaixamento do campo neutrínico.

· A geração de neutrinos ocorre com um fenômeno piezelétrico do tipo compressão de membranas iônicas, semelhantes à compressão de cristais.

· Alguns minerais são tidos como nutrientes.

Portanto, ao entendermos que os cristais são um dos únicos elementos, além de nós mesmos, a gerarem e de uma certa forma suprirem com seus campos neutrínicos os nossos, podemos prever que estes isótopos também transportam consigo as freqüências, elétrons ou fótons virtuais dos minerais contidos dentro de sua estrutura reticular nuclear através das órbitas eletrônicas dos seus elétrons fotônicos. Desta forma é que acredito que nosso sistema eletrônico celular capta inicialmente estes “sinais sutis minerais” inicialmente pelo nosso bio-campo, posteriormente pelos nossos centros de energia e finalmente pelas nossas células. Teoria esta que baseei nos conceitos dos estudos de Campo de Yang, Mills.

Compreenderemos, a seguir, porque defendo a existência de uma íntima relação frequencial totalmente factível e integrada entre as partículas de fótons virtuais dos cristais emitidos via onda/partícula ou “pacotes” de elétrons (neutrinos) através do efeito litostático (pressão isotrópica) proveniente inicialmente da litosfera, com as composições minerais contidas dentro destes cristais, onde os neutrinos são, em minha compreensão os carreadores de subpartículas menores de fótons virtuais dos minerais específicos contidos nos cristais. Desta forma, cada cristal emite uma freqüência “além” de neutrínica e igualmente “mineralográfica” específica de acordo com a composição mineral intrínseca que compõe tal cristal e que, fatalmente terá uma ressonância com nosso bio campo físico molecular, que capta tal “sub” freqüência ou radiação por mais sutil e elementar que seja, reagindo com os nossos metalóides intracelulares, coenzimas ou não, se sob a forma de coenzima ou ligado a uma enzima, a “sub” freqüência mineral poderá ter uma atuação definida e explícita na própria condição em que o metalóide se apresenta no interior da célula, onde a sua identificação com a enzima a que se ligou é eletrônica ou frequencial. Este metalóide terá então atingido o seu objetivo quando tiver completado o trabalho catalisador com a “ajuda” de uma energia “vibracional” (subfreqücia mineral enviada por pacotes de elétrons juntamente com neutrinos) que proporciona justamente a conexão Metal-Enzima.

Se entendermos que esta energia vibracional pode sofrer ressonância dos pacotes de elétrons ou fótons virtuais dos minerais contidos nos cristais estaremos demonstrando definitivamente que realmente tudo sofre interação dos campos e, por conseguinte nosso organismo reage aos cristais justamente por eles trazerem dentro de si minerais que são captados eletronicamente por nossas células.

Estas relações de afinidade freqüêncial podem, no entanto, ser positivas ou negativas, dependendo do cristal e sua composição “amálgama” mineral. Entre alguns casos de freqüências virtuais negativas para a higidez do nosso sistema estão os casos dos minerais de Urânio contidos em alguns cristais como: Torbernita, que é um Fosfato hidratado de Cobre e Urânio, ou Autunita que é um Fosfato hidratado de cálcio e Urânio, ou a Carnotita que é um Vanadato hidratado de Uranita e potássio, ou a Betafita que é um Óxido complexo de Urânio, Cálcio, Titâneo, Nióbio e Tântalo, entre vários outros minerais radioativos que são altamente cancerígenos em função da alta carga parasitária virtual radioativa que emitem, gerando danos irreversíveis em nosso sistema eletrônico celular que leva a uma total degeneração do sistema metabólico do ser dependendo da freqüência e poder de radiação dos fótons virtuais e dos minerais pressionados pela litosfera ou mesmo livres no ambiente. Pois, como já vimos acima, nossas células interagem totalmente com o que chamo de “sub” freqüências sutis dos cristais / minerais, podendo ocorrer tanto o fenômeno da emissão dos neutrinos benéficos quanto à de antineutrinos ou “cargas parasitárias” eletromagnéticas.

Um estudo profundo realizado por Marcel Vogel mostra que muito além das emissões de “sub” freqüências promovidas ou não pela pressão de milhões de toneladas de terra sobre os cristais criando a compressão iônica sobre a membrana reticular cristalina e conseqüentemente uma emissão brutal de neutrinos onde houver a concentração de cristais comprimidos pela litosférica, algumas formas, ou melhor, formatos lapidados dos cristais também podem emitir um campo de “ressonância” bem mais sutil e captado pelo nosso sistema atômico celular. O que Vogel descobriu depois de 10 anos de pesquisa foi que:

Os cristais lapidados de quatro, seis e oito faces, com dupla terminação, que foram idealizados por Voguel a partir de seu inshgth, linkando mentalmente o sistema construtivo da Árvore da Vida com formatos iguais lapidados nos cristais, fizeram com que a Água ressonasse e vibrasse na mesma freqüência do cristal! Esta medição foi conseguida através do uso de espectrofotometria ultravioleta que determina a carga ou proporção de vibração da água. Segundo Voguel este resultado foi e é importantíssimo, pois, a água é o elemento da vida, e quando se lapida um cristal e harmoniza-o com uma molécula de água, tem-se o canal primário de comunicação com o plasma sanguíneo que é essencialmente água, permitindo assim a assimilação pelo plasma da vibração ou padrão que o corpo precisa para se reconstruir eletronicamente, reestruturando o que for necessário. Entretanto, a maior descoberta feita em seu laboratório de San José foi a possibilidade de medir a mudança de carga, e conseguir que o cristal oscilasse de acordo com o padrão mental do observador, logo, a programação mental do cristal foi constatada cientificamente e pode ser transferida para a água!

Curiosamente o Pontal Energético e o pingente têm em seu formato dupla terminação lapidada em quatro faces, e mais: é a representação esquemática da árvore da Vida. Logo, é um potente catalisador e assimilador das transmissões mentais, coincidentemente proposto nos estudos científicos de Marcel Voguel, podendo produzir inúmeros florais vibracionais a partir da água colocada no labirinto ou o pingente sobre um copo de água, se realizada a conexão proposta, inclusive mentalizando-se a potencialização de minerais a serem transmitidos.

Observe abaixo a semelhança entre o Pontal e o desenho esquemático da Árvore daVid

arboldelavida

Logo, observando a interação de freqüências tão sutis é que parto do ponto de referência dos estudos atomísticos das partículas minerais contidas nos cristais e que teoricamente, estas freqüências minerais, assim como os neutrinos também poderiam ser transferidas via fótons virtuais por ondas / partículas , não somente através do princípio litostático (pressão), mas igualmente seguindo o principio de Voguel, ou seja ativando estas partículas “mentalmente” para que estes minerais “aprisionados” pudessem ressonar na mesma freqüência mental do operador (como no experimento de Marcel Voguel com a água e o cristal ) e desta forma entendermos que os diferentes minerais contidos em cada arranjo molecular de cada tipo de cristal geram freqüências extremamente específicas conforme cada variedade de cristal Entre inúmeros fatores que me levam a esta conclusão estão os geradores de isótopos com associação nucleares entre átomos de silício e os elementos minerais presentes nos cristas que se formaram a milhões de anos na litosfera, os quais produzem diferentes e infindáveis combinações mineralográficas, frequenciais e sub-frequenciais no interior da estrutura atômica cristalina de cada cristal!

Vejamos um exemplo:

A composição mineral do cristal Malaquita é: Carbonato Oxidrilo de Cobre e seu arranjo molecular é Cu²CO³(OH)², logo a freqüência da Malaquita é basicamente a freqüência do mineral cobre, e o que o cobre proporciona ao nosso campo por ressonância de elétrons?

O cobre tem um comprimento de onda de 324,8 nm, mas o que faz o cobre em nosso organismo? Ele é um dos minerais tidos como nutrientes. Veremos muitos outros adiante.

Se o organismo produzisse toda energia que precisa de uma única vez, o calor gerado seria tanto que o corpo “pegaria fogo”, então, o cobre localizado na membrana da mitocôndria faz com que nosso combustível seja liberado aos poucos. O Cobre é constituinte de várias enzimas antioxidantes, tem importante efeito antiinflamatório, participa do transporte do açúcar e do ferro, do metabolismo da insulina, na síntese da hemoglobina, além de ser essencial para a formação dos neurotransmissores, é fundamental para formação dos ossos, cores do cabelo e da pele, processos curativos, formação da hemoglobina, células vermelhas do sangue e estados emocionais.

O corpo humano contém de 100 a 150 mg de cobre, aproximadamente 10% no fígado e aproximadamente 50% nos músculos e ossos.

Quais os sintomas de deficiência do cobre?

· Anemia, problemas cardiovasculares, distúrbios hepáticos e pancreáticos, perda de cabelos, colesterol alto, diarréia, carência de proteínas, stress, baixa imunidade às doenças de caráter degenerativo, feridas na pele…

Quais os sintomas do excesso de cobre?

* Crise hemolítica, icterícia, perturbações neurológicas, lesão renal, dilatação das veias…

Bem, é justamente este ponto central de minha teoria que, como já explanei, defende a interação dos cristais como igualmente emissores de pacotes de elétrons “frequenciais” minerais e que estas frequencias, via ressonância mental, podem ser excitados, transportados ou captados pelo nosso bio campo, e transmitidos pelas barreiras intermentes (membrana celular) para as células neuronais e gliais cujas quais sabem exatamente que tipo de “energia sutil” (cristal/ mineral) se está interagindo no momento do contato “vibracional” ou toque, influenciando previamente na escolha de qualquer cristal por ajuste de necessidade freqüêncial dos minerais que o organismo esteja “previamente necessitando” naquele período, como um processo de cátions e anions entre moléculas, porém, em escala celular global.

Desta forma a freqüência do cobre contida na Malaquita que está no pingente, pode ser captada pela “mente corpórea” da pessoa, e, pela sua célula que codificará, enviando um sinal e recebendo uma “ordem” mental sobre qual cristal na verdade qual mineral é o “mais bonito” (indicado) ou que lha atrai mais (necessário)!

Tomando os estudos acima citados sobre a deficiência ou excesso do cobre, caso uma pessoa apresente um dos sintomas da deficiência ou excesso proporcionado pelo mineral cobre, como por exemplo o stress, esta pessoa fatalmente estará inclinada a preferir um pingente Malaquita, entre vários outros cristais, como a mais atrativa, bonita e indicada “intuitivamente” pois, o sistema eletrônico celular entenderá como um emissor, embora sutil e quase impercebível analiticamente pelos sistemas convencionais de freqüências do cobre para suprir ou eliminar determinados efeitos no corpo.

Este sistema acima não é nenhuma novidade para os cientistas que estudam amplamente o fenômeno de busca de nutrientes pelo organismo. Em determinado momento a pessoa sente uma “estranha” necessidade de alimentar-se com determinada fruta ou legume etc., na verdade é o organismo que está à procura de determinados nutrientes, cujos quais, o cérebro sabe, por codificação de nutrientes / minerais, quais os alimentos que contém em sua estrutura atômica de combinações tais necessidades químicas e minerais, muitas vezes para síntese de aminoácidos ou ácidos graxos ou açúcares para produção de ATP (molécula de energia). Logo, neste caso, a “vontade” nada mais é que o “reflexo da necessidade” do sistema metabólico, clareando o porquê algumas vezes sentimos a necessidade de certos alimentos ou sabores.

Dentro desta nova visão, torna-se fundamental o entendimento de que a mente está em todo corpo (mente corpórea), pois, cada célula, além de possuir uma mente própria (uma vez que possui o seu próprio núcleo e dentro dele a espiral cromossômica) nela, o genoma é quem interage dinamicamente com outras células como já demonstrei acima, quer no sentido construtivo ou mesmo destrutivo. No seu interior, os seus dispositivos tais como organelas, complexos organometálicos, enzimas, açucares etc.., são interativos respondendo uns aos outros, corroborando, desta forma, para a imensa grade de informações que se estabelecem a qualquer sensibilidade vibracional exposta atomicamente ou quimicamente.

Seguindo esta tese, quero expor a composição de todos os minerais contidos nos cristais dos pingentes do Pontal Energético e quais suas interações organometálicas e Metalóides intracelulares no excesso ou na falta de tais minerais e suas respectivas conseqüências patogênicas. Desta forma a pessoa poderá estabelecer uma espécie de entendimento destes amálgamas minerais e, se achar necessário, estabelecer um link entre o interesse e o desejo por determinado cristal entendendo que, provavelmente, o organismo desta pessoa esteja necessitando ou mesmo querendo eliminar prováveis patogenias por troca iônica das sub-frequências dos minerais, cabe à própria pessoa, mediante a análise de sua escolha e insight observar se os minerais contidos nos cristais retratam alguma forma patogênica, como já disse, de seu atual momento. Lembrando que estas necessidades não são constantes, elas obviamente podem variar de tempos em tempos, pois, se o organismo suprir-se de determinada freqüência mineral à necessidade ou não pode ser por outros compósitos minerais distintos, o que significará um interesse “inexplicável” de tempos em tempos por outros minerais contidos nas mais diversas possibilidades dos pingentes e de qualquer cristal.

Segue abaixo a lista de alguns dos cristais acoplados ao pingente do Pontal Energético, sua formulação e sua interação orgânica tanto no excesso quanto na falta dos minerais e seus sintomas.

Finalmente lembro que, seguindo o princípio da incerteza de Heisenberg, a escolha do cristal deve ser aleatória, por afinidade e puramente por insight e nunca estudada previamente cristal a cristal, pois, talvez as respostas a determinadas patologias estejam no consórcio de composições minerais distintas como no caso da Turmalina, que veremos adiante, onde só uma inteligência maior contida talvez, em sua estrutura celular poderá fornecer… Espero colocar, com o tempo um imenso leque de novas possibilidades de outros cristais com emissão de inúmeros minerais.

MalaquitadoMalaquitapla

MALAQUITA:

Cu²Co³ ( OH )²

 

Carbonato básico de Cobre

Cobre (Cu) à tem um comprimento de onda de 324,8 nm, Ele é um dos minerais tidos como nutrientes. Se o organismo produzisse toda energia que precisa de uma única vez, o calor gerado seria tanto que o corpo “pegaria fogo”, então, o cobre localizado na membrana da mitocôndria faz com que nosso combustível seja liberado aos poucos. O Cobre é constituinte de várias enzimas antioxidantes, tem importante efeito antiinflamatório participa do transporte do açúcar e do ferro, do metabolismo da insulina, na síntese da hemoglobina, além de ser essencial para a formação dos neurotransmissores, é fundamental para formação dos ossos, cores do cabelo e da pele, processos curativos, formação da hemoglobina, células vermelhas do sangue e estados emocionais. O corpo humano contém de 100 a 150mg de cobre, aproximadamente 10% no fígado e aproximadamente 50% nos músculos e ossos. Deficiência: Anemia, problemas cardiovasculares, distúrbios hepáticos e pancreáticos, perda de cabelos, colesterol alto, diarréia, carência de proteínas, stress, baixa imunidade às doenças de caráter degenerativo, feridas na pele. Excesso: Crise hemolítica, icterícia, perturbações neurológicas, lesão renal, dilatação das veias…

Turmalina Ver Turmalina Verde

TURMALINA VERDE

Rica em Boro e cromo

Todas as características estudadas sobre a Turmalina, porém, com sobrecarga de dois minerais:

**** Boro (Bo) à Fixador do Cálcio e protetor da musculatura cardíaca facilita a absorção do Manganês e influencia na ação do paratormônio e, indiretamente o metabolismo.  O Boro não é considerado essencial ao organismo, mas coadjuvante de importantes metabolismos. Deficiência: retardo no crescimento, náuseas, diarréia, dermatite, letargia tremores, falta de coordenação muscular, irritação da pele e desordem cardiovascular… Excesso: Distúrbios no sistema neurológico, atrofia nos testículos…

**** Cromo (Cr) à Está ligado ao nível de açúcar no sangue, metabolismo da glicose e sistema imunológico. Estudos mostram uma correlação inversa entre a mortalidade por doenças cardiovasculares e o cromo. A suplementação do Cromo tem efeito normalizador da tolerância à glicose, assim como melhora significativamente os níveis séricos de lipídios, colesterol total, triglicérides e HDL colesterol.

Granada (1) Granada

GRANADA:

 Ca³Al²(SiO4)³

Silicato de Cálcio, Alumínio, Ferro.

Silício (Si) à  Um dos elementos mais abundantes da natureza, aproximadamente 26% da crosta terrestre. Na cadeia alimentar os vegetais fornecem mais Si do que os alimentos de origem animal. As concentrações de Si nos tecidos humanos são relativamente altas. Esse elemento é essencial para o crescimento e mineralização dos ossos em humanos. É um dos componentes que integram os complexos de proteínas mucopolissacarídeos, componentes essenciais das cartilagens e tecidos conectivos participando na prevenção destas cartilagens e tecidos durante o envelhecimento. 

Cálcio (Ca) à É o mineral mais abundante do corpo humano, é responsável pela formação dos ossos e dentes, participa ativamente da transmissividade nervosa e dos movimentos musculares e pode bloquear a proliferação de células com tendência ao câncer, está envolvido na estabilização da permeabilidade celular regulando os ritmos do coração.

Deficiência: caimbras, dores musculares, má circulação, formigamento nas extremidades, osteoporose, raquitismo, artrite, aumento do colesterol, arteriosclerose, probabilidade de infarto, nervosismo, esclerodermia, eczemas.  Excesso: Interfere no metabolismo de outros minerais como Chumbo, Estrôncio, Manganês, Zinco e Magnésio.

Alumínio (Al)à Metal tóxico, o Alumínio tem facilidade para depositar–se no sistema nervoso, principalmente nas juntas, causando aumento da explosão respiratória e excesso de radicais livres, mecanismo este que está ligado ao Mal de Alzheimer. Os efeitos da contaminação são: constipação intestinal, cólicas abdominais, anorexia, náuseas, perda de energia, paralisia, hiperatividade infantil, distúrbios de aprendizado, raquitismo, convulsões cerebrais, irritações gastrintestinais, impede a absorção do selênio e Fósforo. Quando a freqüência deste elemento é emitida pelo cristal, muito provavelmente sua onda, que é de 396,2nm, quando captada pela célula crie uma freqüência “antagônica” ao metal que está no plasma e na célula minimizando seus efeitos deletérios.

Ferro (Fe)à, É um mineral importantíssimo e perigosíssimo tanto na Deficiência quanto no Excesso, sendo um dos principais componentes da hemoglobina, o pigmento do sangue. É ele quem agarra o oxigênio captado pelos pulmões e o carrega para o restante do corpo, entretanto, algumas patologias associadas ao excesso ou falta do ferro são: fadiga, irritabilidade, diarréia, dores nas juntas, alterações no comportamento, hiperatividade, perda de memória, dificuldade de concentração, ansiedade

Quartzo Br Quartzo Branco

Quartzo Branco:

Cristal de Quartzo: ( SiO² )

Quartzo Transparente:

Silício  à Um dos elementos mais abundantes da natureza, aproximadamente 26% da crosta terrestre. Na cadeia alimentar os vegetais fornecem mais Si do que os alimentos de origem animal. As concentrações de Si nos tecidos humanos são relativamente altas. Esse elemento é essencial para o crescimento e mineralização dos ossos em humanos, pois, é um dos componentes que integram os complexos de proteínas mucopolissacarídeas – componentes essenciais das cartilagens e tecidos conectivos,

participando na prevenção destas cartilagens e tecidos durante o envelhecimento.

Ametista (1) Ametista

AMETISTA:

Dióxido de Silício, Óxido de Alumínio e zinco.

Silício (Si) à  Um dos elementos mais abundantes da natureza aproximadamente 26% da crosta terrestre. Na cadeia alimentar os vegetais fornecem mais Si do que os alimentos de origem animal. As concentrações de Si nos tecidos humanos são relativamente altas. Esse elemento é essencial para o crescimento e mineralização dos ossos em humanos. É um dos componentes que integram os complexos de proteínas mucopolissacarídeas, componentes essenciais das cartilagens e tecidos conectivos participando na prevenção destas cartilagens e tecidos durante o envelhecimento.

Alumínio (Al)à Metal tóxico, o Alumínio tem facilidade para depositar–se no sistema nervoso, principalmente nas juntas, causando aumento da explosão respiratória e excesso de radicais livres, mecanismo este que está ligado ao Mal de Alzheimer. Os efeitos da contaminação são: constipação intestinal, cólicas abdominais, anorexia, náuseas, perda de energia, paralisia, hiperatividade infantil, distúrbios de aprendizado, raquitismo, convulsões cerebrais, irritações gastrintestinais, impede a absorção do selênio e Fósforo. Quando a freqüência deste elemento é emitida pelo cristal, muito provavelmente sua onda, que é de 396,2nm, quando captada pela célula cria uma freqüência “antagônica” ao metal que está no plasma e na célula minimizando seus efeitos deletérios.

Zinco (Zn) à faz com que o timo, glândula que rege o sistema imunológico, se mantenha ativa, oferece uma certa proteção global contra o envelhecimento ao funcionar como um antioxidante poderoso. Aumenta os níveis de Albumina, esta  é a marcadora da longevidade. Deficiência: Atraso no crescimento, diminuição na imunidade celular, infecções repetitivas, diminuição da força muscular, dificuldades de cicatrização, erupções cutâneas, eczema, distúrbios hormonais, leucemia, câncer, infarto, úlcera, pneumonia.

Excesso: Anemia, distúrbios neurológicos graves, desidratação, distúrbios pancreáticos..

TopazioAz TopazioAzul

TOPÁZIO AZUL

Rico em ferro

**** Ferro (Fe)à É um mineral importantíssimo e perigosíssimo tanto na Deficiência quanto no Excesso, sendo um dos principais componentes da hemoglobina, o pigmento do sangue. É ele quem agarra o oxigênio captado pelos pulmões e o carrega para o restante do corpo, entretanto, algumas patologias associadas ao excesso ou falta do ferro são: fadiga, irritabilidade, diarréia, dores nas juntas, alterações no comportamento, hiperatividade, perda de memória, dificuldade de concentração, ansiedade…

Quartzo Negro (1) Quartzo Negro

Quartzo Negro:

Rico em Óxido de ferro

Silício (Si) àUm dos elementos mais abundantes da natureza, aproximadamente 26% da crosta terrestre. Na cadeia alimentar os vegetais fornecem mais Si do que os alimentos de origem animal. As concentrações de Si nos tecidos humanos são relativamente altas. Esse elemento é essencial para o crescimento e mineralização dos ossos em humanos. É um dos componentes que integram os complexos de proteínas mucopolissacarídeas, componentes essenciais das cartilagens e tecidos conectivos participando na prevenção destas cartilagens e tecidos durante o envelhecimento.

Ferro (Fr) à O comprimento da onda é de 248,3nm. O ferro é um mineral importantíssimo e perigosíssimo tanto na Deficiência quanto no Excesso, sendo um dos principais componentes da hemoglobina, o pigmento do sangue, é ele quem agarra o oxigênio captado pelos pulmões e o carrega para o restante do corpo, entretanto, algumas patologias associadas ao excesso ou falta do ferro são: fadiga, irritabilidade, diarréia, dores nas juntas, alterações no comportamento, hiperatividade, perda de memória, dificuldade de concentração, ansiedade, aumento de infecções…

Agatha Verm Ametista

ÁGATA VERMELHA

Silício e rica em hidróxido de ferro

Silício (Si) à Um dos elementos mais abundantes da natureza, aproximadamente 26% da crosta terrestre. Na cadeia alimentar os vegetais fornecem mais Si do que os alimentos de origem animal. As concentrações de Si nos tecidos humanos são relativamente altas. Esse elemento é essencial para o crescimento e mineralização dos ossos em humanos. É um dos componentes que integram os complexos de proteínas mucopolissacarídeas, componentes essenciais das cartilagens e tecidos conectivos participando na prevenção destas cartilagens e tecidos durante o envelhecimento.

**** Ferro (Fe)à É um mineral importantíssimo e perigosíssimo tanto na Deficiência quanto no Excesso, sendo um dos principais componentes da hemoglobina, o pigmento do sangue. É ele quem agarra o oxigênio captado pelos pulmões e o carrega para o restante do corpo, entretanto, algumas patologias associadas ao excesso ou falta do ferro são: fadiga, irritabilidade, diarréia, dores nas juntas, alterações no comportamento, hiperatividade, perda de memória, dificuldade de concentração, ansiedade…

Turqueza (1) Turqueza

TURQUESA:

CuAl6(PO4)4(OH)8.4H²O

Cobre e Fosfato básico hidratado de Alumínio.

Cobre (Cu) à tem um comprimento de onda de 324,8 nm. Ele é um dos minerais tidos como nutrientes. Se o organismo produzisse toda energia que precisa de uma única vez, o calor gerado seria tanto que o corpo “pegaria fogo”, então, o cobre localizado na membrana da mitocôndria faz com que nosso combustível seja liberado aos poucos. O Cobre é constituinte de várias enzimas antioxidantes, tem importante efeito antiinflamatório participa do transporte do açúcar e do ferro, do metabolismo da insulina, na síntese da hemoglobina, além de ser essencial para a formação dos neurotransmissores, é fundamental para formação dos ossos, cores do cabelo e da pele, processos curativos, formação da hemoglobina, células vermelhas do sangue e estados emocionais. O corpo humano contém de 100 a 150mg de cobre, aproximadamente 10% no fígado e aproximadamente 50% nos músculos e ossos. Deficiência: Anemia, problemas cardiovasculares, distúrbios hepáticos e pancreáticos, perda de cabelos, colesterol alto, diarréia, carência de proteínas, stress, baixa imunidade às doenças de caráter degenerativo, feridas na pele. Excesso: Crise hemolítica, icterícia, perturbações neurológicas, lesão renal, dilatação das veias…

Fósforo (P) à O fósforo é indispensável para a formação do DNA. O DNA é constituído por nucleotídeos, ligados a um açúcar e a um ácido fosfórico, além disso, o Fósforo é um dos elementos que formam as moléculas de ATP (Adenosina Trifosfato), proteína que armazena energia no corpo. Deficiência: Perda de apetite, fadiga, respiração irregular, desordens nervosas, peso excessivo… Excesso: Perda excessiva de peso, artrite, estresse, desordens nos dentes e gengivas.

Alumínio (Al)à Metal tóxico, o Alumínio tem facilidade para depositar–se no sistema nervoso, principalmente nas juntas, causando aumento da explosão respiratória e excesso de radicais livres, mecanismo este que está ligado ao Mal de Alzheimer, os efeitos da contaminação são: constipação intestinal, cólicas abdominais, anorexia, náuseas, perda de energia, paralisia, hiperatividade infantil, distúrbios de aprendizado, raquitismo, convulsões cerebrais, irritações gastrintestinais, impede a absorção do selênio e Fósforo. Quando a freqüência deste elemento é emitida pelo cristal, muito provavelmente sua onda, que é de 396,2nm, quando captada pela célula crie uma frequência “antagônica” ao metal que está no plasma e na célula, minimizando seus efeitos deletérios.

Citrico Citrino

CITRINO:

Dióxido de Silício

Rico em hidróxidos de ferro

Silício (Si) à Um dos elementos mais abundantes da natureza, aproximadamente 26% da crosta terrestre. Na cadeia alimentar os vegetais fornecem mais Si do que os alimentos de origem animal. As concentrações de Si nos tecidos humanos são relativamente altas. Esse elemento é essencial para o crescimento e mineralização dos ossos em humanos. É um dos componentes que integram os complexos de proteínas mucopolissacarídeas, componentes essenciais das cartilagens e tecidos conectivos participando na prevenção destas cartilagens e tecidos durante o envelhecimento.

**** Ferro (Fe)à É um mineral importantíssimo e perigosíssimo tanto na Deficiência quanto no Excesso, sendo um dos principais componentes da hemoglobina, o pigmento do sangue. É ele quem agarra o oxigênio captado pelos pulmões e o carrega para o restante do corpo, entretanto, algumas patologias associadas ao excesso ou falta do ferro são: fadiga, irritabilidade, diarréia, dores nas juntas, alterações no comportamento, hiperatividade, perda de memória, dificuldade de concentraçãoe ansiedade…

Lapis Lazuli Lazuli

LÁPIS LÁSULI:

Silicato Sulfatado de Alumínio Cálcio Sódio.

Ocorre partículas de pirita e ferro

Silício (Si) à Um dos elementos mais abundantes da natureza, aproximadamente 26% da crosta terrestre. Na cadeia alimentar os vegetais fornecem mais Si do que os alimentos de origem animal. As concentrações de Si nos tecidos humanos são relativamente altas. Esse elemento é essencial para o crescimento e mineralização dos ossos em humanos. É um dos componentes que integram os complexos de proteínas mucopolissacarídeas, componentes essenciais das cartilagens e tecidos conectivos participando na prevenção destas cartilagens e tecidos durante o envelhecimento.

Alumínio (Al)à Metal tóxico, o Alumínio tem facilidade para depositar–se no sistema nervoso, principalmente nas juntas, causando aumento da explosão respiratória e excesso de radicais livres, mecanismo este que está ligado ao Mal de Alzheimer. Os efeitos da contaminação são: constipação intestinal, cólicas abdominais, anorexia, náuseas, perda de energia, paralisia, hiperatividade infantil, distúrbios de aprendizado, raquitismo, convulsões cerebrais, irritações gastrintestinais, impede a absorção do selênio e fósforo. Quando a freqüência deste elemento é emitida pelo cristal, muito provavelmente sua onda, que é de 396,2nm, quando captada pela célula crie uma freqüência “antagônica” ao metal que está no plasma e na célula minimizando seus efeitos deletérios.

Cálcio (Ca) à É o mineral mais abundante no corpo humano, é responsável pela formação dos ossos e dentes, participa ativamente da transmissividade nervosa e dos movimentos musculares e pode bloquear a proliferação de células com tendência ao câncer. Está envolvido na estabilização da permeabilidade celular regulando os ritmos do coração.

Deficiência: caimbras e dores musculares, má circulação, formigamento nas extremidades, osteoporose, raquitismo, artrite, aumento do colesterol, arteriosclerose, probabilidade de infarto, nervosismo, esclerodermia, eczemas.  Excesso: Interfere no metabolismo de outros minerais como Chumbo, Estrôncio, Manganês, Zinco e Magnésio.

Sódio (Na) · Dos 42 litros aproximados de água existentes no corpo, dois terços estão dentro das células, o resto no sangue e outros fluidos, o Sódio é quem regula o balanceamento da água, retirando-a da célula por osmose e jogando na corrente sanguínea, sendo essencial no transporte de outros nutrientes através da membrana celular. Junto com o Potássio, regula a contração muscular e a transmissão dos impulsos nervosos.Deficiência: anorexia, hipotensão, distúrbios oculares, perda de peso, policitemia, distúrbios reprodutivos.

Excesso: Asma, hipertensão, edema, excesso de peso, diabetes, distúrbios cardiovasculares com endurecimento das artérias, arteriosclerose, distúrbios neurológicos.

**** Ferro (Fe)à É um mineral importantíssimo e perigosíssimo tanto na Deficiência quanto no Excesso, sendo um dos principais componentes da hemoglobina, o pigmento do sangue. É ele quem agarra o oxigênio captado pelos pulmões e o carrega para o restante do corpo, entretanto, algumas patologias associadas ao excesso ou falta do ferro são: fadiga, irritabilidade, diarréia, dores nas juntas, alterações no comportamento, hiperatividade, perda de memória, dificuldade de concentração, ansiedade…

Turmalina Ver Turmalina Verde

ÁGATA VERDE

Silício e rica oxido de cobre

Silício (Si) à Um dos elementos mais abundantes da natureza, aproximadamente 26% da crosta terrestre. Na cadeia alimentar os vegetais fornecem mais Si do que os alimentos de origem animal. As concentrações de Si nos tecidos humanos são relativamente altas. Esse elemento é essencial para o crescimento e mineralização dos ossos em humanos. É um dos componentes que integram os complexos de proteínas mucopolissacarídeas, componentes essenciais das cartilagens e tecidos conectivos participando na prevenção destas cartilagens e tecidos durante o envelhecimento.

Cobre (Cu) à Tem um comprimento de onda de 324,8 nm. Ele é um dos minerais tidos como nutrientes. Se o organismo produzisse toda energia que precisa de uma única vez, o calor gerado seria tanto que o corpo “pegaria fogo”, então, o cobre localizado na membrana da mitocôndria faz com que nosso combustível seja liberado aos poucos. O Cobre é constituinte de várias enzimas antioxidantes, tem importante efeito antiinflamatório, participa do transporte do açúcar e do ferro, do metabolismo da insulina, na síntese da hemoglobina, além de ser essencial para a formação dos neurotransmissores, é fundamental para formação dos ossos, cores do cabelo e da pele, processos curativos, formação da hemoglobina e células vermelhas do sangue e estados emocionais. O corpo humano contém de 100 a 150mg de cobre, aproximadamente 10% no fígado e aproximadamente 50% nos músculos e ossos. Deficiência: Anemia, problemas cardiovasculares, distúrbios hepáticos e pancreáticos, perda de cabelos, colesterol alto, diarréia, carência de proteínas, stress, baixa imunidade às doenças de caráter degenerativo, feridas na pele. Excesso: Crise hemolítica, icterícia, perturbações neurológicas, lesão renal e dilatação das veias…

Quartzo Gr Quartzo Grafitado

Quartzo rutilado grafitado:

Silício, Zinco, Cálcio Titânio e ferro.

Silício (Si) Um dos elementos mais abundantes da natureza aproximadamente, 26% da crosta terrestre. Na cadeia alimentar os vegetais fornecem mais Si do que os alimentos de origem animal. As concentrações de Si nos tecidos humanos são relativamente altas. Esse elemento é essencial para o crescimento e mineralização dos ossos em humanos. É um dos componentes que integram os complexos de proteínas mucopolissacarídeos, componentes essenciais das cartilagens e tecidos conectivos participando na prevenção destas cartilagens e tecidos durante o envelhecimento.

Zinco (Zn) à faz com que o timo, glândula que rege o sistema imunológico, se mantenha ativa, oferece uma certa proteção global contra o envelhecimento ao funcionar como um antioxidante poderoso. Aumenta os níveis de Albumina, esta é a marcadora da longevidade… : Deficiência: Atraso no crescimento, diminuição na imunidade celular, infecções repetitivas, diminuição da força muscular, dificuldades de cicatrização, erupções cutâneas, eczema, distúrbios hormonais, leucemia, câncer, infarto, úlcera, pneumonia.

Excesso: Anemia, distúrbios neurológicos grave, desidratação, distúrbios pancreáticos…

Cálcio (Ca) à É o mineral mais abundante no corpo humano, é responsável pela formação dos ossos e dentes, participa ativamente da transmissividade nervosa e dos movimentos musculares e pode bloquear a proliferação de células com tendência ao câncer, está envolvido na estabilização da permeabilidade celular regulando os ritmos do coração.Deficiência: caimbras e dores musculares, má circulação, formigamento nas extremidades, osteoporose, raquitismo, artrite, aumento do colesterol, arteriosclerose, probabilidade de infarto, nervosismo, esclerodermia, eczemas. Excesso: Interfere no metabolismo de outros minerais como Chumbo, Estrôncio, Manganês, Zinco e Magnésio.

Titânio (Ti) à Metal ainda pouco compreendido, por haver poucos estudos conhecidos sobre ele, é tóxico em quantidades maiores, entretanto, tem um estreito relacionamento com o campo neutrínico, interferindo no campo de ação.

Ferro (Fe) àÉ um mineral importantíssimo e perigosíssimo tanto na Deficiência quanto no Excesso, sendo um dos principais componentes da hemoglobina, o pigmento do sangue. É ele quem agarra o oxigênio captado pelos pulmões e o carrega para o restante do corpo, entretanto, algumas patologias associadas ao excesso ou falta do ferro são: fadiga, irritabilidade, diarréia, dores nas juntas, alterações no comportamento, hiperatividade, perda de memória, dificuldade de concentração, ansiedade…

3-) Cristais de Turmalina

( Na,Ca ) (Mg,Fé”,Fé””,Al,Li)³ Al6 (BO³)³Si6O¹8 (OH ) 4

O Borossilicato Complexo é piroelétrico, ou seja, ao aquecê-lo atrai em seu campo partículas leves para sua superfície, abaixo está todo amalgama de minerais que compõe a Turmalina, ou seja,  qualquer tipo de turmalina, sejam azuis, verdes, amarelas, etc. Entretanto, é justamente a diferença na cor do cristal que significa uma maior concentração de alguns metais ou minerais, os quais, serão analisados individualmente em cada tipo de Turmalina…

Compósito geral da Turmalina:

Sódio (Na) · Dos 42 litros aproximados de água existentes no corpo, dois terços estão dentro das células e o resto no sangue e outros fluidos, o Sódio é quem regula o balanceamento da água, retirando-a da célula por osmose, e jogando na corrente sanguínea sendo essencial no transporte de outros nutrientes através da membrana celular. Junto com o Potássio, regula a contração muscular e a transmissão dos impulsos nervosos.Deficiência: anorexia, hipotensão, distúrbios oculares, perda de peso, policitemia, distúrbios reprodutivos.

Excesso: Asma, hipertensão, edema, excesso de peso, diabetes, distúrbios cardiovasculares com endurecimento das artérias, arteriosclerose, distúrbios neurológicos.

Cálcio (Ca) à O Cálcio é o mineral mais abundante no corpo humano, é responsável pela formação dos ossos e dentes, participa ativamente da transmissividade nervosa e dos movimentos musculares e pode bloquear a proliferação de células com tendência ao câncer, está envolvido na estabilização da permeabilidade celular regulando os ritmos do coração: Deficiência: caimbras, dores musculares, má circulação, formigamento nas extremidades, osteoporose, raquitismo, artrite, aumento do colesterol, arteriosclerose, probabilidade de infarto, nervosismo, esclerodermia, eczemas.  Excesso: Interfere no metabolismo de outros minerais como Chumbo, Estrôncio, Manganês, Zinco e Magnésio.

Magnésio (Mg) àPrincípio Si, comprimento de onda, 285,2nm. Para que o ATP (molécula que armazena energia) se forme é indispensável a presença do magnésio, que está sempre ligado a um fosfato, sal ou ácido que contém Fósforo. Sem o magnésio é impossível guardar energia na célula, tendo grande importância na síntese e metabolismo do DNA no funcionamento da musculatura lisa, esquelética, cardíaca e também na neuro-transmissão além da manutenção dos níveis de insulina. Aumenta os níveis de colesterol bom (HDL) inibe a viscosidade das plaquetas sanguíneas que podem levar a coágulos. Na Deficiência do Magnésio temos: excitabilidade, ansiedade, cefaléia, fadiga mental, distúrbios, neuromusculares, colesterol alto, redução do apetite, insônia, crises emocionais, irregularidades e lesões cardíacas graves, já no Excessotemos: Doenças renais, doenças do sistema nervoso, distúrbios hormonais, icterícia insuficiência respiratória….

Ferro (Fe)à É um mineral importantíssimo e perigosíssimo tanto na Deficiência quanto no Excesso, sendo um dos principais componentes da hemoglobina, o pigmento do sangue. É ele quem agarra o oxigênio captado pelos pulmões e o carrega para o restante do corpo, entretanto, algumas patologias associadas ao excesso ou falta do ferro são: fadiga, irritabilidade, diarréia, dores nas juntas, alterações no comportamento, hiperatividade, perda de memória, dificuldade de concentração, ansiedade…

Alumínio (Al)à Metal tóxico, o Alumínio tem facilidade para depositar–se no sistema nervoso, principalmente nas juntas, causando aumento da explosão respiratória e excesso de radicais livres, mecanismo este que está ligado ao Mal de Alzheimer. Os efeitos da contaminação são: constipação intestinal, cólicas abdominais, anorexia, náuseas, perda de energia, paralisia, hiperatividade infantil, distúrbios de aprendizado, raquitismo, convulsões cerebrais, irritações gastrintestinais, impede a absorção do selênio e Fósforo. Quando a freqüência deste elemento é emitida pelo cristal, muito provavelmente sua onda, que é de 396,2nm, quando captada pela célula crie uma freqüência “antagônica” ao metal que está no plasma e na célula, minimizando seus efeitos deletérios.

Lítio (Li) à O Lítio interfere no transporte do Sódio, atua no sistema nervoso sobre as catecolaminas, acetilcolinas e ácido glutâmico, é rotineiramente usado no tratamento de manias agudas e depressão e pode beneficiar outras condições nos estados emocionais estáveis. Deficiência: Insônia psíquica, epilepsia, ansiedade, angústia, agitação, depressão, melancolia, fobias, síndrome pré-menstrual… Excesso: Dermatite, náusea, confusão, edema ou hipertensão…

Boro (Bo) à Fixador do Cálcio e protetor da musculatura cardíaca, facilita a absorção do Manganês e influencia na ação do paratormônio e, indiretamente o metabolismo Cálcio, Fósforo, Magnésio e do Colesterol. O Boro não é considerado essencial ao organismo, mas, coadjuvante de importantes metabolismos. Deficiência: retardo no crescimento, náuseas, diarréia, dermatite, letargia tremores, falta de coordenação muscular, irritação da pele e desordem cardiovascular… Excesso: Distúrbios no sistema neurológico, atrofia nos testículos…

Silício (Si) à  Um dos elementos mais abundantes da natureza, aproximadamente 26% da crosta terrestre. Na cadeia alimentar os vegetais fornecem mais Si do que os alimentos de origem animal. As concentrações de Si nos tecidos humanos são relativamente altas. Esse elemento é essencial para o crescimento e mineralização dos ossos em humanos. É um dos componentes que integram os complexos de proteínas mucopolissacarídeas, componentes essenciais das cartilagens e tecidos conectivos participando na prevenção destas cartilagens e tecidos durante o envelhecimento.

Jaspe JASPER

JASPE

Dióxido de Silício Óxido de Ferro

Silício (Si) à  Um dos elementos mais abundantes da natureza, aproximadamente 26% da crosta terrestre. Na cadeia alimentar os vegetais fornecem mais Si do que os alimentos de origem animal. As concentrações de Si nos tecidos humanos são relativamente altas. Esse elemento é essencial para o crescimento e mineralização dos ossos em humanos. É um dos componentes que integram os complexos de proteínas mucopolissacarídeas, componentes essenciais das cartilagens e tecidos conectivos participando na prevenção destas cartilagens e tecidos durante o envelhecimento.

**** Ferro (Fe)à, É um mineral importantíssimo e perigosíssimo tanto na Deficiência quanto no Excesso, sendo um dos principais componentes da hemoglobina, o pigmento do sangue. É ele quem agarra o oxigênio captado pelos pulmões e o carrega para o restante do corpo, entretanto, algumas patologias associadas ao excesso ou falta do ferro são: fadiga, irritabilidade, diarréia, dores nas juntas, alterações no comportamento, hiperatividade, perda de memória, dificuldade de concentração, ansiedade…

Obsidiana (1) Obsidiana

OBSIDIANA:

Silício Vulcânico pode conter centenas de compostos entre eles o Potássio e Fósforo

Silício (Si) à Um dos elementos mais abundantes da natureza, aproximadamente 26% da crosta terrestre. Na cadeia alimentar os vegetais fornecem mais Si do que os alimentos de origem animal. As concentrações de Si nos tecidos humanos são relativamente altas. Esse elemento é essencial para o crescimento e mineralização dos ossos em humanos. É um dos componentes que integram os complexos de proteínas mucopolissacarídeas, componentes essenciais das cartilagens e tecidos conectivos participando na prevenção destas cartilagens e tecidos durante o envelhecimento. 

Potássio (K) à O Potássio é um dos principais responsáveis na contração e no relaxamento dos músculos. É o íon intracelular mais importante, ele fica do lado de dentro da célula e troca de lugar com o sódio que está na parte de fora, quando um impulso nervoso enviado pelo cérebro chega a um músculo,  permite que o mesmo se contraia. Se houver falta ou excesso de potássio o coração pode parar. Também trabalha junto com o Sódio regulando o equilíbrio da água dentro da célula e da pressão osmótica. Também participa da liberação energética e da síntese protéica. Deficiência: Queda de pressão arterial, inchaço e aumento de peso por retenção do sal, artrite, fraqueza muscular, distrofia, paralisia, doenças pulmonares, asma, bronquite, colesterol alto, distúrbios do crescimento, acne, sede contínua, prisão de ventre, fraqueza geral, insônia, batidas irregulares do coração… Excesso: hipertensão arterial, distonia, paralisia da musculatura estriada, fraqueza, distúrbios circulatórios graves…

Fósforo (P) à O fósforo é indispensável para a formação do DNA. O Dna é constituído por nucleotídeos, ligados a um açúcar e a um ácido fosfórico, além disso, o Fósforo é um dos elementos que formam as moléculas de ATP (Adenosina Trifosfato), proteína que armazena energia no corpo. Deficiência: Perda de apetite, fadiga, respiração irregular, desordens nervosas, peso excessivo… Excesso: Perda excessiva de peso, artrite, estresse, desordens nos dentes e gengivas.

Olho de Tigre (1) Olho de Tigre

OLHO DE TIGRE

Dióxido de Silício com Silicato de ferro, Sódio e Fósforo

Silício (Si) à Um dos elementos mais abundantes da natureza, aproximadamente 26% da crosta terrestre. Na cadeia alimentar os vegetais fornecem mais Si do que os alimentos de origem animal. As concentrações de Si nos tecidos humanos são relativamente altas. Esse elemento é essencial para o crescimento e mineralização dos ossos em humanos. É um dos componentes que integram os complexos de proteínas mucopolissacarídeas, componentes essenciais das cartilagens e tecidos conectivos participando na prevenção destas cartilagens e tecidos durante o envelhecimento.

Ferro (Fe)à É um mineral importantíssimo e perigosíssimo tanto na Deficiência quanto no Excesso, sendo um dos principais componentes da hemoglobina, o pigmento do sangue. É ele quem agarra o oxigênio captado pelos pulmões e o carrega para o restante do corpo, entretanto, algumas patologias associadas ao excesso ou falta do ferro são: fadiga, irritabilidade, diarréia, dores nas juntas, alterações no comportamento, hiperatividade, perda de memória, dificuldade de concentração, ansiedade…

Sódio (Na) · Dos 42 litros aproximados de água existentes no corpo, dois terços estão dentro das células e o resto no sangue e outros fluidos. O Sódio é quem regula o balanceamento da água, retirando- a da célula por osmose e jogando na corrente sanguínea sendo essencial no transporte de outros nutrientes através da membrana celular. Junto com o Potássio, regula a contração muscular e a transmissão dos impulsos nervosos. Deficiência: anorexia, hipotensão, distúrbios oculares, perda de peso, policitemia, distúrbios reprodutivos.

Excesso: Asma, hipertensão, edema, excesso de peso, diabetes, distúrbios cardiovasculares com endurecimento das artérias, arteriosclerose, distúrbios neurológicos.

Fósforo (P) à O fósforo é indispensável para a formação do DNA. O Dna é constituído por nucleotídeos, ligados a um açúcar e a um ácido fosfórico, além disso, o Fósforo é um dos elementos que formam as moléculas de ATP (Adenosina Trifosfato), proteína que armazena energia no corpo. Deficiência: Perda de apetite, fadiga, respiração irregular, desordens nervosas, peso excessivo… Excesso: Perda excessiva de peso, artrite, estresse, desordens nos dentes e gengivas.

Onix

ÔNIX:

 Dióxido de Silício, Mangnês e Ferro

Silício (Si) à  Um dos elementos mais abundantes da natureza, aproximadamente 26% da crosta terrestre. Na cadeia alimentar os vegetais fornecem mais Si do que os alimentos de origem animal. As concentrações de Si nos tecidos humanos são relativamente altas. Esse elemento é essencial para o crescimento e mineralização dos ossos em humanos. É um dos componentes que integram os complexos de proteínas mucopolissacarídeas, componentes essenciais das cartilagens e tecidos conectivos participando na prevenção destas cartilagens e tecidos durante o envelhecimento.

Manganês (Mn) à tem um comprimento de onda de 279,5nm, é um elemento importante em vários sistemas enzimáticos, faz parte integrante da enzima superóxido desmutase, participando da normalização da glicose, sendo que alguns autores citam-no como modulador da síntese, secreção e degradação da insulina. Participam do metabolismo cerebral e ativa enzimas para reprodução e produção dos hormônios sexuais, metabolismo de gorduras e carboidratos, igualmente na metabolisação da vitamina B1 e E.

Quando em Excesso está associado à impulsividade, delírios e alucinações, distúrbios psíquicos, atividade mental diminuída, julgamento prejudicado de situações, memória enfraquecida, distúrbios neurológicos semelhantes ao Mal de Parkinson, voz monótona, tristeza. Deficiência de manganês constatou-se: Processos alérgicos, hipoglicemia, esterilidade, diabetes, instabilidade nerosa e convulsões na gravidez, problemas ósseos…

Ferro (Fe)à É um mineral importantíssimo e perigosíssimo tanto na Deficiência quanto no Excesso, sendo um dos principais componentes da hemoglobina, o pigmento do sangue.  Ele quem agarra o oxigênio captado pêlos pulmões e o carrega para o restante do corpo, entretanto algumas patologias associadas ao excesso ou falta do ferro são: fadiga, irritabilidade, diarréia, dores nas juntas, alterações no comportamento, hiperatividade, perda de memória, dificuldade de concentração, ansiedade…

Pedra do Sol (1) Pedra do Sol

PEDRA DO SOL:

Rica em mica e goetita, Silicato básico de Potássio, magnésio, ferro e alumínio.

Silício (Si) à  Um dos elementos mais abundantes da natureza, aproximadamente 26% da crosta terrestre, na cadeia alimentar os vegetais fornecem mais Si do que os alimentos de origem animal. As concentrações de Si nos tecidos humanos são relativamente altas. Esse elemento é essencial para o crescimento e mineralização dos ossos em humanos. É um dos componentes que integram os complexos de proteínas mucopolissacarídeas, componentes essenciais das cartilagens e tecidos conectivos participando na prevenção destas cartilagens e tecidos durante o envelhecimento.

Potássio (K) à O Potássio é um dos principais responsáveis na contração e no relaxamento dos músculos. É o íon intracelular mais importante, ele fica do lado de dentro da célula e troca de lugar com o sódio, que está na parte de fora, quando um impulso nervoso enviado pelo cérebro chega a um músculo, isto permite que ele se contraia, se houver falta ou excesso de potássio o coração pode parar. Também trabalha junto com o Sódio regulando o equilíbrio da água dentro da célula e da pressão osmótica. Também participa da liberação energética e da síntese protéica. Deficiência: Queda de pressão arterial, inchaço e aumento de peso por retenção do sal, artrite, fraqueza muscular, distrofia, paralisia, doenças pulmonares, asma, bronquite, colesterol alto, distúrbios do crescimento, acne, sede contínua, prisão de ventre, fraqueza geral, insônia, batidas irregulares do coração… Excesso: hipertensão arterial, distonia, paralisia da musculatura estriada, fraqueza, distúrbios circulatórios graves…

Magnésio (Mg) à Principio Si, comprimento de onda, 285,2nm. Para que o ATP (molécula que armazena energia) se forme é indispensável à presença do magnésio, que está sempre ligado a um fosfato, sal ou ácido que contém Fósforo. Sem o magnésio é impossível guardar energia na célula, tendo grande importância na síntese e metabolismo do DNA, no funcionamento da musculatura lisa, esquelética, cardíaca e também na neuro-transmissão além da manutenção dos níveis de insulina. Aumenta os níveis de colesterol bom HDL, inibe a viscosidade das plaquetas sanguíneas que pode levar a coágulos.Na Deficiência do Magnésio temos: Excitabilidade, ansiedade, cefaléia, fadiga mental, distúrbios, neuromusculares, colesterol alto, redução do apetite, insônia e crises emocionais.

Ferro (Fe)à, É um mineral importantíssimo e perigosíssimo tanto na Deficiência quanto no Excesso, sendo um dos principais componentes da hemoglobina, o pigmento do sangue. É ele quem agarra o oxigênio captado pelos pulmões e o carrega para o restante do corpo, entretanto, algumas patologias associadas ao excesso ou falta do ferro são: fadiga, irritabilidade, diarréia, dores nas juntas, alterações no comportamento, hiperatividade, perda de memória, dificuldade de concentração, ansiedade…

Alumínio (Al)à Metal tóxico, o Alumínio tem facilidade para depositar–se no sistema nervoso, principalmente nas juntas, causando aumento da explosão respiratória e excesso de radicais livres, mecanismo este que está ligado ao Mal de Alzheimer, os efeitos da contaminação são: constipação intestinal, cólicas abdominais, anorexia, náuseas, perda de energia, paralisia, hiperatividade infantil, distúrbios de aprendizado, raquitismo, convulsões cerebrais, irritações gastrintestinais, impede a absorção do selênio e Fósforo. Quando a freqüência deste elemento é emitida pelo cristal, muito provavelmente sua onda, que é de 396,2nm, quando captada pela célula crie uma freqüência “antagônica” ao metal que está no plasma e na célula minimizando seus efeitos deletérios.

Quartzo Rosa Quartzo Roza

Quartzo Rosa:

Rico em Manganês

Silício (Si) àUm dos elementos mais abundantes da natureza, aproximadamente 26% da crosta terrestre. Na cadeia alimentar os vegetais fornecem mais Si do que os alimentos de origem animal. As concentrações de Si nos tecidos humanos são relativamente altas. Esse elemento é essencial para o crescimento e mineralização dos ossos em humanos. É um dos componentes que integram os complexos de proteínas mucopolissacarídeas, componentes essenciais das cartilagens e tecidos conectivos participando na prevenção destas cartilagens e tecidos durante o envelhecimento. 

Manganês (Mn) à tem um comprimento de onda de 279,5nm, é um elemento importante em vários sistemas enzimáticos, faz parte integrante da enzima superóxido desmutase, participando da normalização da glicose, sendo que alguns autores citam-no como modulador da síntese, secreção e degradação da insulina, participa do metabolismo cerebral e ativa enzimas para reprodução e produção dos hormônios sexuais, metabolismo de gorduras e carboidratos, igualmente na metabilização da vitamina B1 e E.

Quando em Excesso está associado à impulsividade, delírios e alucinações, distúrbios psíquicos, atividade mental diminuída, julgamento de situações prejudicado, memória enfraquecida, distúrbios neurológicos semelhantes ao Mal de Parkinson, voz monótona, tristeza. Quando em Deficiência constatou-se: Processos alérgicos, hipoglicemia, esterilidade, diabetes, instabilidade nervosa, convulsões na gravidez e problemas ósseos…

Quartzo Rut Am Quartzo Rutilado Amarelo

Quartzo rutilado amarelo:

TiO² à Dióxido de silício com inclusões de Dióxido de Titânio

Rico em Silício, Dióxido de Titânio, zinco e hidratado de cálcio.

Principio do Silício (Si), mais Zinco que tem um comprimento de onda de 231,9nm, aliado ao Hidrato de Cálcio com uma onda de 422,7nm e o Dióxido de Titânio .

Silício (Si) àUm dos elementos mais abundantes da natureza, aproximadamente 26% da crosta terrestre. Na cadeia alimentar os vegetais fornecem mais Si do que os alimentos de origem animal. As concentrações de Si nos tecidos humanos são relativamente altas. Esse elemento é essencial para o crescimento e mineralização dos ossos em humanos. É um dos componentes que integram os complexos de proteínas mucopolissacarídeos, componentes essenciais das cartilagens e tecidos conectivos participando na prevenção destas cartilagens e tecidos durante o envelhecimento.

Titânio (Ti) à Metal ainda pouco compreendido, por haver poucos estudos conhecidos sobre ele, é tóxico em grandes quantidades, entretanto, tem um estreito relacionamento com o campo neutrínico, interferindo no campo de ação.

Zinco (Zn) à faz com que o timo, glândula que rege o sistema imunológico, se mantenha ativa, oferece uma certa proteção global contra o envelhecimento ao funcionar como um antioxidante poderoso. Aumenta os níveis de Albumina, esta  é a marcadora da longevidade…

Deficiência: Atraso no crescimento, diminuição na imunidade celular, infecções repetitivas, diminuição da força muscular, dificuldades de cicatrização, erupções cutâneas, eczema, distúrbios hormonais, leucemia, câncer, infarto, úlcera e pneumonia.

Excesso: Anemia, distúrbios neurológicos graves, desidratação, distúrbios pancreáticos…

Cálcio (Ca) à É o mineral mais abundante no corpo humano, é responsável pela formação dos ossos e dentes, participa ativamente da transmissividade nervosa e dos movimentos musculares, pode bloquear a proliferação de células com tendência ao câncer, está envolvido na estabilização da permeabilidade celular regulando os ritmos do coração.

Deficiência: caimbras, dores musculares, má circulação, formigamento nas extremidades, osteoporose, raquitismo, artrite, aumento do colesterol, arteriosclerose, probabilidade de infarto, nervosismo, esclerodermia, eczemas.  Excesso: Interfere no metabolismo de outros minerais como Chumbo, Estrôncio, Manganês, Zinco e Magnésio.

Os modelos com as pedras abaixo estão a disposição sobre consulta:

ÁGATA:

Dióxido de Silício

Um tipo de calcedônia ou quartzo criptocristalino

Silício (Si) à  Um dos elementos mais abundantes da natureza, aproximadamente 26% da crosta terrestre. Na cadeia alimentar os vegetais fornecem mais Si do que os alimentos de origem animal. As concentrações de Si nos tecidos humanos são relativamente altas. Esse elemento é essencial para o crescimento e mineralização dos ossos em humanos. É um dos componentes que integram os complexos de proteínas mucopolissacarídeas, componentes essenciais das cartilagens e tecidos conectivos participando na prevenção destas cartilagens e tecidos durante o envelhecimento.

ÁGUA MARINHA:

Al²Be³(Si6O18)

Silicato de Alumínio Berílio (Ca / Mg )

Silício (Si) à Um dos elementos mais abundantes da natureza, aproximadamente 26% da crosta terrestre. Na cadeia alimentar os vegetais fornecem mais Si do que os alimentos de origem animal. As concentrações de Si nos tecidos humanos são relativamente altas. Esse elemento é essencial para o crescimento e mineralização dos ossos em humanos. É um dos componentes que integram os complexos de proteínas mucopolissacarídeas, componentes essenciais das cartilagens e tecidos conectivos participando na prevenção destas cartilagens e tecidos durante o envelhecimento.

Alumínio (Al) à Metal tóxico, o Alumínio tem facilidade para depositar–se no sistema nervoso, principalmente nas juntas, causando aumento da explosão respiratória e excesso de radicais livres, mecanismo este que está ligado ao Mal de Alzheimer, os efeitos da contaminação são: constipação intestinal, cólicas abdominais, anorexia, náuseas, perda de energia paralisia, iteratividade infantil, distúrbios de aprendizado, raquitismo, convulsões cerebrais, irritações gastrintestinais, impede a absorção do selênio e Fósforo. Quando a freqüência deste elemento é emitida pelo cristal, muito provavelmente sua onda, que é de 396,2nm, quando captada pela célula crie uma freqüência “antagônica” ao metal que está no plasma e na célula minimizando seus efeitos deletérios.

Berílio ( Be ) à Não se tem muitas experiências com o Berílio e seu processamento no organismo, entretanto, ele é um metal alcalino-terroso do grupo do cálcio e magnésio, talvez tenha atividades antioxidantes.

Cálcio (Ca) à É o mineral mais abundante no corpo humano, é responsável pela formação dos ossos e dentes, participa ativamente da transmissividade nervosa,  dos movimentos musculares e pode bloquear a proliferação de células com tendência ao câncer, está envolvido na estabilização da permeabilidade celular regulando os ritmos do coração..

Deficiência: caimbras e dores musculares, má circulação, formigamento nas extremidades, osteoporose, raquitismo, artrite, aumento do colesterol, arteriosclerose, probabilidade de infarto, nervosismo, esclerodermia, eczemas.  Excesso: Interfere no metabolismo de outros minerais como Chumbo, Estrôncio, Manganês, Zinco e Magnésio.

Magnésio (Mg) à Principio Si, comprimento de onda, 285,2nm. Para que o ATP (molécula que armazena energia) se forme é indispensável à presença do magnésio, que está sempre ligado a um fosfato, sal ou ácido que contém Fósforo. Sem o magnésio é impossível guardar energia na célula, tendo grande importância na síntese e metabolismo do DNA, no funcionamento da musculatura lisa, esquelética, cardíaca e também na neuro-transmissão além da manutenção dos níveis de insulina. Aumenta os níveis de colesterol bom (HDL), inibe a viscosidade das plaquetas sanguíneas que pode levar a coágulos. Na Deficiência do Magnésio temos: excitabilidade, ansiedade, cefaléia, fadiga mental, distúrbios, neuromusculares, colesterol alto, redução do apetite, insônia, crises emocionais.

EMATITA:

  Fe²O³

Óxido de Ferro

Ferro (Fe)à É um mineral importantíssimo e perigosíssimo tanto na Deficiência quanto no Excesso, sendo um dos principais componentes da hemoglobina, o pigmento do sangue. É ele quem agarra o oxigênio captado pelos pulmões e o carrega para o restante do corpo, entretanto, algumas patologias associadas ao excesso ou falta do ferro são: fadiga, irritabilidade, diarréia, dores nas juntas, alterações no comportamento, hiperatividade, perda de memória, dificuldade de concentração, ansiedade…

ESMERALDA:

Al²Be³(Si6O18)

Silicato de Alumínio Berilo.

Silício (Si) à Um dos elementos mais abundantes da natureza, aproximadamente 26% da crosta terrestre, na cadeia alimentar os vegetais fornecem mais Si do que os alimentos de origem animal. As concentrações de Si nos tecidos humanos são relativamente altas. Esse elemento é essencial para o crescimento e mineralização dos ossos em humanos. É um dos componentes que integram os complexos de proteínas mucopolissacarídeas, componentes essenciais das cartilagens e tecidos conectivos participando na prevenção destas cartilagens e tecidos durante o envelhecimento.

Alumínio (Al)à Metal tóxico, o Alumínio tem facilidade para depositar–se no sistema nervoso, principalmente nas juntas, causando aumento da explosão respiratória e excesso de radicais livres, mecanismo este que está ligado ao Mal de Alzheimer. Os efeitos da contaminação são: constipação intestinal, cólicas abdominais, anorexia, náuseas, perda de energia paralisia, hiperatividade infantil, distúrbios de aprendizado, raquitismo, convulsões cerebrais, irritações gastrintestinais, impede a absorção do selênio e Fósforo. Quando a freqüência deste elemento é emitida pelo cristal, muito provavelmente sua onda, que é de 396,2nm, quando captada pela célula crie uma freqüência “antagônica” ao metal que está no plasma e na célula, minimizando seus efeitos deletérios.

Magnésio (Mg) à Principio Si, comprimento de onda, 285,2nm. Para que o ATP (molécula que armazena energia) se forme é indispensável a presença do magnésio, que está sempre ligado a um fosfato, sal ou ácido que contém Fósforo. Sem o magnésio é impossível guardar energia na célula, tendo grande importância na síntese e metabolismo do DNA, no funcionamento da musculatura lisa, esquelética, cardíaca e também na neuro-transmissão além da manutenção dos níveis de insulina. Aumenta os níveis de colesterol bom (HDL), inibe a viscosidade das plaquetas sanguíneas que pode levar a coágulos. Na Deficiência do Magnésio temos: Excitabilidade, ansiedade, cefaléia, fadiga mental, distúrbios, neuromusculares, colesterol alto, redução do apetite, insônia, crises emocionais.

Cálcio (Ca) à É o mineral mais abundante no corpo humano, é responsável pela formação dos ossos e dentes, participa ativamente da transmissividade nervosa, dos movimentos musculares e pode bloquear a proliferação de células com tendência ao câncer. Está envolvido na estabilização da permeabilidade celular regulando os ritmos do coração.

Deficiência: caimbras e dores musculares, má circulação, formigamento nas extremidades, osteoporose, raquitismo, artrite, aumento do colesterol, arteriosclerose, probabilidade de infarto, nervosismo, esclerodermia, eczemas.  Excesso: Interfere no metabolismo de outros minerais como Chumbo, Estrôncio, Manganês, Zinco e Magnésio.

Cobre (Cu) à tem um comprimento de onde de 324,8 nm, Ele é um dos minerais tidos como nutrientes. Se o organismo produzisse toda energia que precisa de uma única vez, o calor gerado seria tanto que o corpo “pegaria fogo”, então, o cobre localizado na membrana da mitocôndria faz com que nosso combustível seja liberado aos poucos. O Cobre é constituinte de várias enzimas antioxidantes, tem importante efeito antiinflamatório participa do transporte do açúcar e do ferro, do metabolismo da insulina, na síntese da hemoglobina, além de ser essencial para a formação dos neurotransmissores, é fundamental para formação dos ossos, cores do cabelo e da pele, processos curativos, formação da hemoglobina e células vermelhas do sangue e estados emocionais. O corpo humano contém de 100 a 150mg de cobre, aproximadamente 10% no fígado e aproximadamente 50% nos músculos e ossos. Deficiência: Anemia, problemas cardiovasculares, distúrbios hepáticos e pancreáticos, perda de cabelos, colesterol alto, diarréia, carência de proteínas, stress, baixa imunidade às doenças de caráter degenerativo, feridas na pele. Excesso

JADE:

Silicato de ferro Magnésio

Silicato de Alumínio Sódio

Silício (Si) à  Um dos elementos mais abundantes da natureza, aproximadamente 26% da crosta terrestre. Na cadeia alimentar os vegetais fornecem mais Si do que os alimentos de origem animal. As concentrações de Si nos tecidos humanos são relativamente altas. Esse elemento é essencial para o crescimento e mineralização dos ossos em humanos. É um dos componentes que integram os complexos de proteínas mucopolissacarídeas, componentes essenciais das cartilagens e tecidos conectivos participando na prevenção destas cartilagens e tecidos durante o envelhecimento.

**** Ferro (Fe)à, É um mineral importantíssimo e perigosíssimo tanto na Deficiência quanto no Excesso, sendo um dos principais componentes da hemoglobina, o pigmento do sangue. É ele quem agarra o oxigênio captado pelos pulmões e o carrega para o restante do corpo, entretanto, algumas patologias associadas ao excesso ou falta do ferro são: fadiga, irritabilidade, diarréia, dores nas juntas, alterações no comportamento, hiperatividade, perda de memória, dificuldade de concentração, ansiedade…

**** Magnésio (Mg) à Principio Si, comprimento de onda, 285,2nm. Para que o ATP (molécula que armazena energia) se forme é indispensável a presença do magnésio, que está sempre ligado a um fosfato, sal ou ácido que contém Fósforo. Sem o magnésio é impossível guardar energia na célula, tendo grande importância na síntese e metabolismo do DNA, no funcionamento da musculatura lisa, esquelética, cardíaca e também na neuro-transmissão, além da manutenção dos níveis de insulina. Aumenta os níveis de colesterol bom (HDL), inibe a viscosidade das plaquetas sanguíneas que pode levar a coágulos. Na Deficiência do Magnésio temos: excitabilidade, ansiedade, cefaléia, fadiga mental, distúrbios, neuromusculares, colesterol alto, redução do apetite, insônia, crises emocionais.

Alumínio (Al)à Metal tóxico, o Alumínio tem facilidade para depositar–se no sistema nervoso, principalmente nas juntas, causando aumento da explosão respiratória e excesso de radicais livres, mecanismo este que está ligado ao Mal de Alzheimer. Os efeitos da contaminação são: constipação intestinal, cólicas abdominais, anorexia, náuseas, perda de energia, paralisia, hiperatividade infantil, distúrbios de aprendizado, raquitismo, convulsões cerebrais, irritações gastrintestinais, impede a absorção do selênio e Fósforo. Quando a freqüência deste elemento é emitida pelo cristal, muito provavelmente sua onda, que é de 396,2nm, quando captada pela célula crie uma freqüência “antagônica” ao metal que está no plasma e na célula minimizando seus efeitos deletérios.

Sódio (Na) · Dos 42 litros aproximados de água existentes no corpo, dois terços estão dentro das células e o resto no sangue e outros fluidos, o Sódio é quem regula o balanceamento da água, retirando- a da célula por osmose e jogando na corrente sanguínea sendo essencial no transporte de outros nutrientes através da membrana celular. Junto com o Potássio, regula a contração muscular e a transmissão dos impulsos nervosos. Deficiência: anorexia, hipotensão, distúrbios oculares, perda de peso, policitemia, distúrbios reprodutivos.

Excesso: Asma, hipertensão, edema, excesso de peso, diabetes, distúrbios cardiovasculares com endurecimento das artérias, arteriosclerose, distúrbios neurológicos.

OPALA:

(SiO².nH²O)

Óxido Hidratado de Silício

Silício (Si) à  Um dos elementos mais abundantes da natureza, aproximadamente 26% da crosta terrestre. Na cadeia alimentar os vegetais fornecem mais Si do que os alimentos de origem animal. As concentrações de Si nos tecidos humanos são relativamente altas. Esse elemento é essencial para o crescimento e mineralização dos ossos em humanos. É um dos componentes que integram os complexos de proteínas mucopolissacarídeas, componentes essenciais das cartilagens e tecidos conectivos participando na prevenção destas cartilagens e tecidos durante o envelhecimento.

Cálcio (Ca) à É o mineral mais abundante no corpo humano, é responsável pela formação dos ossos e dentes, participa ativamente da transmissividade nervosa,  dos movimentos musculares e pode bloquear a proliferação de células com tendência ao câncer, está envolvido na estabilização da permeabilidade celular regulando os ritmos do coração.

Deficiência: caimbras e dores musculares, má circulação, formigamento nas extremidades, osteoporose, raquitismo, artrite, aumento do colesterol, arteriosclerose, probabilidade de infarto, nervosismo, esclerodermia, eczemas.  Excesso: Interfere no metabolismo de outros minerais como Chumbo, Estrôncio, Manganês, Zinco e Magnésio.

Sódio (Na) · Dos 42 litros aproximados de água existentes no corpo, dois terços estão dentro das células e o resto no sangue e outros fluidos. O Sódio é quem regula o balanceamento da água, retirando-a da célula por osmose e jogando na corrente sanguínea, sendo essencial no transporte de outros nutrientes através da membrana celular. Junto com o Potássio, regula a contração muscular e a transmissão dos impulsos nervosos. Deficiência: anorexia, hipotensão, distúrbios oculares, perda de peso, policitemia, distúrbios reprodutivos.

Excesso: asma, hipertensão, edema, excesso de peso, diabetes, distúrbios cardiovasculares com endurecimento das artérias, arteriosclerose, distúrbios neurológicos.

Potássio (K) à O Potássio é um dos principais responsáveis na contração e no relaxamento dos músculos. É o íon intracelular mais importante ele fica do lado de dentro da célula e troca de lugar com o sódio, que está na parte de fora, quando um impulso nervoso enviado pelo cérebro chega a um músculo, isto permite que ele se contraia, se houver falta ou excesso de potássio o coração pode parar. Também trabalha junto com o Sódio regulando o equilíbrio da água dentro da célula e da pressão osmótica. Também participa da liberação energética e da síntese protéica. Deficiência: Queda de pressão arterial, inchaço e aumento de peso por retenção do sal, artrite, fraqueza muscular, distrofia, paralisia, doenças pulmonares, asma, bronquite, colesterol alto, distúrbios do crescimento, acne, sede contínua, prisão de ventre, fraqueza geral, insônia, batidas irregulares do coração… Excesso: hipertensão arterial, distonia, paralisia da musculatura estriada, fraqueza, distúrbios circulatórios graves…

PEDRA DA LUA:

Silicato de Alumínio, Potássio e Sódio

Silício (Si) à  Um dos elementos mais abundantes da natureza, aproximadamente 26% da crosta terrestre. Na cadeia alimentar os vegetais fornecem mais Si do que os alimentos de origem animal. As concentrações de Si nos tecidos humanos são relativamente altas. Esse elemento é essencial para o crescimento e mineralização dos ossos em humanos. É um dos componentes que integram os complexos de proteínas mucopolissacarídeas, componentes essenciais das cartilagens e tecidos conectivos participando na prevenção destas cartilagens e tecidos durante o envelhecimento.

Alumínio (Al)à Metal tóxico, o Alumínio tem facilidade para depositar–se no sistema nervoso, principalmente nas juntas, causando aumento da explosão respiratória e excesso de radicais livres, mecanismo este que está ligado ao Mal de Alzheimer. Os efeitos da contaminação são: constipação intestinal, cólicas abdominais, anorexia, náuseas, perda de energia paralisia, hiperatividade infantil, distúrbios de aprendizado, raquitismo, convulsões cerebrais, irritações gastrintestinais, impede a absorção do selênio e Fósforo. Quando a freqüência deste elemento é emitida pelo cristal, muito provavelmente sua onda, que é de 396,2nm, quando captada pela célula crie uma freqüência “antagônica” ao metal que está no plasma e na célula minimizando seus efeitos deletérios. 

Potássio (K) à O Potássio é um dos principais responsáveis na contração e no relaxamento dos músculos. É o íon intracelular mais importante, ele fica do lado de dentro da célula e troca de lugar com o sódio, que está na parte de fora, quando um impulso nervoso enviado pelo cérebro chega a um músculo, isto permite que ele se contraia, se houver falta ou excesso de potássio o coração pode parar. Também trabalha junto com o Sódio regulando o equilíbrio da água dentro da célula e da pressão osmótica. Também participa da liberação energética e da síntese protéica. Deficiência: Queda de pressão arterial, inchaço e aumento de peso por retenção do sal, artrite, fraqueza muscular, distrofia, paralisia, doenças pulmonares, asma, bronquite, colesterol alto, distúrbios do crescimento, acne, sede contínua, prisão de ventre, fraqueza geral, insônia, batidas irregulares do coração… Excesso: hipertensão arterial, distonia, paralisia da musculatura estriada, fraqueza, distúrbios circulatórios graves…

Sódios (Na) · Dos 42 litros aproximados de água existentes no corpo, dois terços estão dentro das células e o resto no sangue e outros fluidos. O Sódio é quem regula o balanceamento da água, retirando-a da célula por osmose e jogando na corrente sanguínea, sendo essencial no transporte de outros nutrientes através da membrana celular. Junto com o Potássio, regula a contração muscular e a transmissão dos impulsos nervosos. Deficiência: anorexia, hipotensão, distúrbios oculares, perda de peso, policitemia, distúrbios reprodutivos.

Excesso: asma, hipertensão, edema, excesso de peso, diabetes, distúrbios cardiovasculares com endurecimento das artérias, arteriosclerose, distúrbios neurológicos.

Quartzo Verde:

Rico em Magnésio

Silício (Si) àUm dos elementos mais abundantes da natureza, aproximadamente 26% da crosta terrestre. Na cadeia alimentar os vegetais fornecem mais Si do que os alimentos de origem animal. As concentrações de Si nos tecidos humanos são relativamente altas. Esse elemento é essencial para o crescimento e mineralização dos ossos em humanos. É um dos componentes que integram os complexos de proteínas mucopolissacarídeas, componentes essenciais das cartilagens e tecidos conectivos participando na prevenção destas cartilagens e tecidos durante o envelhecimento.

Magnésio (Mg) àcomprimento de onda, 285,2nm. Para que o ATP (molécula que armazena energia) se forme é indispensável a presença do magnésio, que está sempre ligado a um fosfato, sal ou ácido que contém Fósforo. Sem o magnésio é impossível guardar energia na célula, tendo grande importância na síntese e metabolismo do DNA, no funcionamento da musculatura lisa, esquelética, cardíaca e também na neuro-transmissão, além da manutenção dos níveis de insulina. Aumenta os níveis de colesterol bom (HDL), inibe a viscosidade das plaquetas sanguíneas que podem levar a coágulos. Na Deficiência do Magnésio temos: excitabilidade, ansiedade, cefaléia, fadiga mental, distúrbios neuromusculares, colesterol alto, redução do apetite, insônia, crises emocionais, irregularidades e lesões cardíacas graves, já no Excesso temos: doenças renais, doenças do sistema nervoso, distúrbios hormonais, icterícia e insuficiência respiratória…

RODOCROCITA:

( MnCO³ )Carbonato de Manganês

Silício (Si) à Um dos elementos mais abundantes da natureza, aproximadamente 26% da crosta terrestre. Na cadeia alimentar os vegetais fornecem mais Si do que os alimentos de origem animal. As concentrações de Si nos tecidos humanos são relativamente altas. Esse elemento é essencial para o crescimento e mineralização dos ossos em humanos. É um dos componentes que integram os complexos de proteínas mucopolissacarídeas, componentes essenciais das cartilagens e tecidos conectivos participando na prevenção destas cartilagens e tecidos durante o envelhecimento.

Cálcio (Ca) à É o mineral mais abundante no corpo humano, é responsável pela formação dos ossos e dentes, participa ativamente da transmissividade nervosa,  dos movimentos musculares e pode bloquear a proliferação de células com tendência ao câncer, está envolvido na estabilização da permeabilidade celular regulando os ritmos do coração.

Deficiência: caimbras e dores musculares, má circulação, formigamento nas extremidades, osteoporose, raquitismo, artrite, aumento do colesterol, arteriosclerose, probabilidade de infarto, nervosismo, esclerodermia, eczemas.  Excesso: Interfere no metabolismo de outros minerais como Chumbo, Estrôncio, Manganês, Zinco e Magnésio.

Manganês (Mn) à tem um comprimento de onda de 279,5nm, é um elemento importante em vários sistemas enzimáticos, faz parte integrante da enzima superóxido desmutase, participando da normalização da glicose, sendo que alguns autores citam-no como modulador da síntese, secreção e degradação da insulina. Participam do metabolismo cerebral e ativa enzimas para reprodução e produção dos hormônios sexuais, metabolismo de gorduras e carboidratos, igualmente na metabilização da vitamina B1 e E.

Quando em Excesso está associado à impulsividade, delírios e alucinações, distúrbios psíquicos, atividade mental diminuída, julgamento de situações prejudicado, memória enfraquecida, distúrbios neurológicos semelhantes ao Mal de Parkinson, voz monótona, tristeza. Deficiência de manganês constatou-se: Processos alérgicos, hipoglicemia, esterilidade, diabetes, instabilidade nervosa, convulsões na gravidez e problemas ósseos…

RUBI:

Ca³Al² (SiO4)4

Silicato de Cálcio e Alumínio (Fe ?)

Silício (Si) à Um dos elementos mais abundantes da natureza, aproximadamente 26% da crosta terrestre. Na cadeia alimentar os vegetais fornecem mais Si do que os alimentos de origem animal. As concentrações de Si nos tecidos humanos são relativamente altas. Esse elemento é essencial para o crescimento e mineralização dos ossos em humanos. É um dos componentes que integram os complexos de proteínas mucopolissacarídeas, componentes essenciais das cartilagens e tecidos conectivos participando na prevenção destas cartilagens e tecidos durante o envelhecimento.

Cálcio (Ca) à É o mineral mais abundante no corpo humano, é responsável pela formação dos ossos e dentes, participa ativamente da transmissividade nervosa e dos movimentos musculares e pode bloquear a proliferação de células com tendência ao câncer. Está envolvido na estabilização da permeabilidade celular regulando os ritmos do coração.

Deficiência: caimbras e dores musculares, má circulação, formigamento nas extremidades, osteoporose, raquitismo, artrite, aumento do colesterol, arteriosclerose, probabilidade de infarto, nervosismo, esclerodermia, eczemas.  Excesso: Interfere no metabolismo de outros minerais como Chumbo, Estrôncio, Manganês, Zinco e Magnésio.

Alumínio (Al)à Metal tóxico, o Alumínio tem facilidade para depositar–se no sistema nervoso, principalmente nas juntas, causando aumento da explosão respiratória e excesso de radicais livres, mecanismo este que está ligado ao Mal de Alzheimer. Os efeitos da contaminação são: constipação intestinal, cólicas abdominais, anorexia, náuseas, perda de energia, paralisia, hiperatividade infantil, distúrbios de aprendizado, raquitismo, convulsões cerebrais, irritações gastrintestinais, impede a absorção do selênio e Fósforo. Quando a freqüência deste elemento é emitida pelo cristal, muito provavelmente sua onda, que é de 396,2nm, quando captada pela célula crie uma freqüência “antagônica” ao metal que está no plasma e na célula minimizando seus efeitos deletérios.

Ferro (Fe)à, É um mineral importantíssimo e perigosíssimo tanto na Deficiência quanto no Excesso, sendo um dos principais componentes da hemoglobina, o pigmento do sangue. É ele quem agarra o oxigênio captado pelos pulmões e o carrega para o restante do corpo, entretanto, algumas patologias associadas ao excesso ou falta do ferro são: fadiga, irritabilidade, diarréia, dores nas juntas, alterações no comportamento, hiperatividade, perda de memória, dificuldade de concentração, ansiedade…

RUBILITA

Igualmente um Boro Silicato da família das Turmalinas

Rica em Boro, Lítio e Magnésio.

**** Boro (Bo) à Fixador do Cálcio e protetor da musculatura cardíaca, facilita a absorção do Manganês,  influencia na ação do paratormônio e indiretamente o metabolismo Cálcio, Fósforo, Magnésio e do Colesterol. O Boro não é considerado essencial ao organismo, mas coadjuvante de importantes metabolismos. Deficiência: retardo no crescimento, náuseas, diarréia, dermatite, letargia, tremores e falta de coordenação muscular, irritação da pele e desordem cardiovascular… Excesso: Distúrbios no sistema neurológico, atrofia nos testículos…

**** Lítio (Li) à O Lítio interfere no transporte do Sódio, atua no sistema nervoso sobre as catecolaminas, acetilcolinas e ácido glutâmico, é rotineiramente usado no tratamento de manias agudas e depressão e pode beneficiar outras condições nos estados emocionais estáveis. Deficiência: Insônia psíquica, epilepsia, ansiedade, angústia, agitação, depressão, melancolia, fobias, síndrome pré-menstrual… Excesso: Dermatite, náusea, confusão, edema ou hipertensão…

**** Magnésio (Mg) à Princípio Si, comprimento de onda: 285,2nm. Para que o ATP (molécula que armazena energia) se forme é indispensável a presença do magnésio, que está sempre ligado a um fosfato, sal ou ácido que contém Fósforo. Sem o magnésio é impossível guardar energia na célula, tendo grande importância na síntese e metabolismo do DNA no funcionamento da musculatura lisa, esquelética, cardíaca e também na neuro-transmissão além da manutenção dos níveis de insulina. Aumenta os níveis de colesterol bom (HDL), inibe a viscosidade das plaquetas sanguíneas que podem levar a coágulos. Na Deficiência do Magnésio temos: excitabilidade, ansiedade, cefaléia, fadiga mental, distúrbios, neuromusculares, colesterol alto, redução do apetite, insônia, crises emocionais.

TOPÁZIO

Al²SiO4 ( F, OH)²

Silicato de Flúor Oxidrilo Alumínio

Abaixo está o amalgama de minerais que compõe o Topázio, logo em qualquer tipo de Topázio, sejam azuis, verdes, amarelos etc, encontraremos estes metais / minerais. Entretanto, é justamente a diferença na cor do cristal que significa uma maior concentração de alguns metais ou minerais, os quais, analisaremos individualmente.

Silício (Si) à  Um dos elementos mais abundantes da natureza, aproximadamente 26% da crosta terrestre. Na cadeia alimentar os vegetais fornecem mais Si do que os alimentos de origem animal. As concentrações de Si nos tecidos humanos são relativamente altas. Esse elemento é essencial para o crescimento e mineralização dos ossos em humanos. É um dos componentes que integram os complexos de proteínas mucopolissacarídeos, componentes essenciais das cartilagens e tecidos conectivos participando na prevenção destas cartilagens e tecidos durante o envelhecimento.

Flúor ( F) à Mineral essencial, no organismo o flúor se apresenta em combinações complexas, sendo a principal a hidroxi-fluoro-apatita depositada nos ossos e nos dentes, que sendo também ossos, são compostos por fosfato de cálcio. O flúor se combina com essa substância formando uma outra, chamada fluoropatita de maior resistência. A extrema dureza deste material impede que as bactérias presentes na boca destruam facilmente os dentes.

Alumínio (Al)à Metal tóxico, o Alumínio tem facilidade para depositar–se no sistema nervoso, principalmente nas juntas, causando aumento da explosão respiratória e excesso de radicais livres, mecanismo este que está ligado ao Mal de Alzheimer, os efeitos da contaminação são: constipação intestinal, cólicas abdominais, anorexia, náuseas, perda de energia, paralisia, hiperatividade infantil, distúrbios de aprendizado, raquitismo, convulsões cerebrais, irritações gastrintestinais, impede a absorção do selênio e Fósforo. Quando a freqüência deste elemento é emitida pelo cristal, muito provavelmente sua onda, que é de 396,2nm, quando captada pela célula crie uma freqüência “antagônica” ao metal que está no plasma e na célula, minimizando seus efeitos deletérios.

TOPÁZIO VERDE

Rico em cromo e cobre

**** Cromo (Cr) à Está ligado ao nível de açúcar no sangue, metabolismo da glicose e sistema imunológico. Estudos mostram uma correlação inversa entre a mortalidade por doenças cardiovasculares e o cromo. A suplementação do Cromo tem efeito normalizador da tolerância à glicose, assim como melhora significativamente os níveis séricos de lipídios, colesterol total, triglicérides e HDL colesterol.

**** Cobre (Cu) à tem um comprimento de onda de 324,8 nm. Ele é um dos minerais tidos como nutrientes. Se o organismo produzisse toda energia que precisa de uma única vez, o calor gerado seria tanto que o corpo “pegaria fogo”, então, o cobre localizado na membrana da mitocôndria faz com que nosso combustível seja liberado aos poucos. O Cobre é constituinte de várias enzimas antioxidantes, tem importante efeito antiinflamatório participa do transporte do açúcar e do ferro, do metabolismo da insulina, na síntese da hemoglobina, além de ser essencial para a formação dos neurotransmissores, é fundamental para formação dos ossos, cores do cabelo e da pele, processos curativos, formação da hemoglobina,  células vermelhas do sangue e estados emocionais. O corpo humano contém de 100 a 150 mg de cobre, aproximadamente 10% no fígado e aproximadamente 50% nos músculos e ossos. Deficiência: Anemia, problemas cardiovasculares, distúrbios hepáticos e pancreáticos, perda de cabelos, colesterol alto, diarréia, carência de proteínas, stress, baixa imunidade às doenças de caráter degenerativo, feridas na pele. Excesso: Crise hemolítica, icterícia, perturbações neurológicas, lesão renal, dilatação das veias…

TOPAZIO VERMELHO

Magnésio e cromo

**** Magnésio (Mg) à Principio Si, comprimento de onda, 285,2nm. Para que o ATP (molécula que armazena energia) se forme é indispensável a presença do magnésio, que está sempre ligado a um fosfato, sal ou ácido que contém Fósforo. Sem o magnésio é impossível guardar energia na célula, tendo grande importância na síntese e metabolismo do DNA, no funcionamento da musculatura lisa, esquelética, cardíaca e também na neuro-transmissão além da manutenção dos níveis de insulina. Aumenta os níveis de colesterol bom (HDL), inibe a viscosidade das plaquetas sanguíneas que podem levar a coágulos. Na Deficiência do Magnésio temos: Excitabilidade, ansiedade, cefaléia, fadiga mental, distúrbios, neuromusculares, colesterol alto, redução do apetite, insônia e crises emocionais.

**** Cromo (Cr) à Está ligado ao nível de açúcar no sangue, metabolismo da glicose e sistema imunológico. Estudos mostram uma correlação inversa entre a mortalidade por doenças cardiovasculares e o cromo. A suplementação do Cromo tem efeito normalizador da tolerância à glicose, assim como melhora significativamente os níveis séricos de lipídios, colesterol total, triglicérides e HDL colesterol.

TURMALINA AMARELA

Boro Magnésio

**** Boro (Bo) à Fixador do Cálcio e protetor da musculatura cardíaca, facilita a absorção do Manganês e influencia na ação do paratormônio e, indiretamente o metabolismo Cálcio, Fósforo, Magnésio e do Colesterol. O Boro não é considerado essencial ao organismo, mas coadjuvante de importantes metabolismos. Deficiência: retardo no crescimento, náuseas, diarréia, dermatite, letargia tremores, falta de coordenação muscular, irritação da pele e desordem cardiovascular… Excesso: Distúrbios no sistema neurológico, atrofia nos testículos…

**** Magnésio (Mg) àPrincípio Si, comprimento de onda: 285,2nm. Para que o ATP (molécula que armazena energia) se forme é indispensável a presença do magnésio, que está sempre ligado a um fosfato, sal ou ácido que contém Fósforo. Sem o magnésio é impossível guardar energia na célula, tendo grande importância na síntese e metabolismo do DNA no funcionamento da musculatura lisa, esquelética, cardíaca e também na neuro-transmissão além da manutenção dos níveis de insulina. Aumenta os níveis de colesterol bom (HDL), inibe a viscosidade das plaquetas sanguíneas que podem levar a coágulos. Na Deficiência do Magnésio temos: excitabilidade, ansiedade, cefaléia, fadiga mental, distúrbios, neuromusculares, colesterol alto, redução do apetite, insônia, crises emocionais.

TURMALINA AZUL

Rica em Boro, ferro e cromo.

**** Boro (Bo) à Fixador do Cálcio e protetor da musculatura cardíaca, facilita a absorção do Manganês,  influencia na ação do paratormônio e indiretamente o metabolismo Cálcio, Fósforo, Magnésio e Colesterol. O Boro não é considerado essencial ao organismo, mas coadjuvante de importantes metabolismos. Deficiência: retardo no crescimento, náuseas, diarréia, dermatite, letargia, tremores, falta de coordenação muscular, irritação da pele e desordem cardiovascular… Excesso: Distúrbios no sistema neurológico, atrofia nos testículos…

**** Ferro (Fe)à, É um mineral importantíssimo e perigosíssimo tanto na Deficiência quanto no Excesso, sendo um dos principais componentes da hemoglobina, o pigmento do sangue. É ele quem agarra o oxigênio captado pelos pulmões e o carrega para o restante do corpo, entretanto, algumas patologias associadas ao excesso ou falta do ferro são: fadiga, irritabilidade, diarréia, dores nas juntas, alterações no comportamento, hiperatividade, perda de memória, dificuldade de concentração, ansiedade…

**** Cromo (Cr) à Está ligado ao nível de açúcar no sangue, metabolismo da glicose e sistema imunológico. Estudos mostram uma correlação inversa entre a mortalidade por doenças cardiovasculares e o cromo. A suplementação do Cromo tem efeito normalizador da tolerância à glicose, assim como melhora significativamente os níveis séricos de lipídios, colesterol total, triglicérides e HDL colesterol.

TURMALINA MARROM

Rica em Boro e Magnésio

**** Boro (Bo) à Fixador do Cálcio e protetor da musculatura cardíaca, facilita a absorção do Manganês,  influencia na ação do paratormônio e indiretamente o metabolismo Cálcio, Fósforo, Magnésio e do Colesterol. O Boro não é considerado essencial ao organismo, mas coadjuvante de importantes metabolismos. Deficiência: retardo no crescimento, náuseas, diarréia, dermatite, letargia, tremores e falta de coordenação muscular, irritação da pele e desordem cardiovascular… Excesso: Distúrbios no sistema neurológico, atrofia nos testículos…

**** Magnésio (Mg) àPrincípio Si, comprimento de onda: 285,2nm. Para que o ATP (molécula que armazena energia) se forme é indispensável a presença do magnésio, que está sempre ligado a um fosfato, sal ou ácido que contém Fósforo. Sem o magnésio é impossível guardar energia na célula, tendo grande importância na síntese e metabolismo do DNA no funcionamento da musculatura lisa, esquelética, cardíaca e também na neuro-transmissão além da manutenção dos níveis de insulina. Aumenta os níveis de colesterol bom (HDL), inibe a viscosidade das plaquetas sanguíneas que podem levar a coágulos. Na Deficiência do Magnésio temos: excitabilidade, ansiedade, cefaléia, fadiga mental, distúrbios, neuromusculares, colesterol alto, redução do apetite, insônia, crises emocionais.

TURMALINA NEGRA

Rica em Boro, ferro e Lítio.

**** Boro (Bo) à Fixador do Cálcio e protetor da musculatura cardíaca, facilita a absorção do Manganês,  influencia na ação do paratormônio e indiretamente o metabolismo Cálcio, Fósforo, Magnésio e do Colesterol. O Boro não é considerado essencial ao organismo, mas coadjuvante de importantes metabolismos. Deficiência: retardo no crescimento, náuseas, diarréia, dermatite, letargia, tremores e falta de coordenação muscular, irritação da pele e desordem cardiovascular… Excesso: Distúrbios no sistema neurológico, atrofia nos testículos…

**** Ferro (Fe)à É um mineral importantíssimo e perigosíssimo tanto na Deficiência quanto no Excesso, sendo um dos principais componentes da hemoglobina, o pigmento do sangue. É ele quem agarra o oxigênio captado pelos pulmões e o carrega para o restante do corpo, entretanto, algumas patologias associadas ao excesso ou falta do ferro são: fadiga, irritabilidade, diarréia, dores nas juntas, alterações no comportamento, hiperatividade, perda de memória, dificuldade de concentração, ansiedade… 

**** Lítio (Li) àO Lítio interfere no transporte do Sódio, atua no sistema nervoso sobre as catecolaminas, acetilcolinas e ácido glutâmico, é rotineiramente usado no tratamento de manias agudas e depressão e pode beneficiar outras condições nos estados emocionais estáveis. Deficiência: Insônia psíquica, epilepsia, ansiedade, angústia, agitação, depressão, melancolia, fobias, síndrome pré-menstrual… Excesso: Dermatite, náusea, confusão, edema ou hipertensão…

Estes estudos dos minerais contidos nos cristais não são, sob hipótese alguma, conclusivas mas, apenas um pequeno levantamento com o que se pode atualmente pesquisar, de forma que estarei aberto a sugestões quanto a inclusões ou descobertas de minerais em cristais que não estejam aqui figurados.

Você pode, com o seu pensamento interagir beneficamente com estes minerais contidos nos cristais, como? Sentindo o seu Eu Divino, despertando a curiosidade da criança que existe em você…. Os cristais com certeza vibrarão e quando você se permitir sentir esta vibração a interação sutil se dará… Confie e acredite e tudo se manifestará!

Espero que estes conhecimentos possam de alguma forma melhorar o ser em essência, pois em nós reside a essência Divina do TODO.

Paz Fraterna,

Cosmo Rtc.

Mogi Guaçu –19–5-2004 21:57.

IconBox Title

Click here to add your own text